Canziani afirma que Paraná pode ganhar seis novas escolas técnicas

PTB Notícias 19/03/2007, 8:31


O Paraná deverá ganhar, nos próximos quatro anos, seis novas escolas técnicas federais.

A implantação das unidades está prevista numa proposta apresentada pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (MEC) ao presidente Lula.

De acordo com o deputado federal Alex Canziani, do PTB do Paraná, esta será a segunda etapa do projeto de expansão da rede federal de educação tecnológica.

A primeira fase teve início no ano passado e deve aumentar, até o fim de 2007, o número de unidades espalhadas pelo país, que hoje é de 145, para 205.

Membro da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, o deputado Alex Canziani vê no ensino profissional um forte instrumento de capacitação de mão-de-obra e empregabilidade: “É um grande avanço, e quem ganha é o Paraná como um todo”.

O deputado também é presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Educação Profissional do Congresso Nacional, e foi um dos articuladores para a implantação dos campi da Universidade Tecnológica Federal em Londrina e em Apucarana, no Norte do Estado.

“A universidade [tecnológica] está com capilaridade cada vez maior em todo o Estado”, comemora o parlamentar paranaense.

Das 60 unidades previstas, 32 já estão concluídas.

No Paraná, o campus de Londrina deve ser entregue até o fim do ano.

Além disso, as unidades de ensino de Toledo, Apucarana e Francisco Beltrão também estão adiantadas.

Para a segunda etapa do projeto, está prevista a construção de 150 novas escolas em todo o país, a maioria delas concentradas no interior e na periferia de grandes centros urbanos.

No Paraná, as novas unidades deverão ser implantadas nos municípios de Paranaguá, Umuarama, Foz do Iguaçu, Telêmaco Borba e Santo Antônio da Platina.

Uma sexta unidade estaria sendo estudada para Paranavaí ou Maringá.

Cada unidade será responsável pela abertura de cerca de 1,8 mil vagas.

O investimento inicial em cada escola será de aproximadamente R$ 5 milhões.

Para o projeto todo está prevista uma verba de R$ 1 bilhão.

fonte: site do Deputado Alex Canziani (PTB-PR)