Canziani diz que não há progresso sem educação de base de qualidade

PTB Notícias 16/07/2007, 13:47


O deputado federal Alex Canziani, do PTB do Paraná, ressaltou no Plenário da Câmara a importância da educação no desenvolvimento social e no crescimento econômico de uma nação.

Segundo ele, “desde a década dos anos 50 do século XX, os estudiosos da economia vêm demonstrando a importância do nível de escolaridade da população para a sustentabilidade de seu crescimento econômico e o alcance de patamares cada vez mais avançados de bem estar social”.

O deputado frisou também que não só no campo econômico destaca-se a relevância da educação: “Trata-se de condição indispensável para a conquista e exercício pleno da verdadeira cidadania, para a participação política, para o pensamento crítico e construtivo, enfim para o desenvolvimento integral de cada indivíduo enquanto pessoa humana”, disse ele.

“A Educação é um processo.

Faz-se ao longo de uma trajetória cujo êxito é tanto mais assegurado quanto mais cedo ela se inicia.

Países com elevado perfil de escolarização de sua população são aqueles que, por longo tempo, investiram de modo sistemático e continuado em sua educação de base”.

O parlamentar petebista lembrou que a legislação de diretrizes e bases da educação nacional, aprovada em dezembro de 1996, acaba de completar dez anos de vigência, e que a mesma instituiu o conceito de educação básica, envolvendo as etapas da educação infantil, do ensino fundamental e ensino médio: “Trata-se de um patamar de escolaridade estabelecido como o ideal a que todo brasileiro deve ter acesso.

Por isso mesmo, ainda que o ensino fundamental esteja constitucionalmente definido como o nível obrigatório, está também disposta a progressiva universalização do ensino médio gratuito e cada vez mais as políticas públicas enfatizam a importância da expansão da educação infantil.

Tais direitos do cidadão e deveres do Poder Público, em matéria educacional, estão claramente definidos no ordenamento legal brasileiro”, afirmou Alex Canziani.

“A realidade, porém, ainda evidencia a distância em que ela se encontra desse ideal.

Se, no ensino fundamental, cerca de 96% das crianças de sete a quatorze anos encontram-se matriculadas, as jornadas escolares diárias são ainda muito reduzidas e os resultados nas avaliações periódicas realizadas pelo MEC demonstram o baixo nível de domínio de conhecimentos dos estudantes.

No ensino médio, quase a metade dos alunos matriculados encontra-se em idade superior à considerada própria para esta fase.

Os resultados nas avaliações também deixam muito a desejar.

Na educação infantil, embora as matrículas na pré-escola tenham crescido bastante, menos de 15% das crianças de zero a três anos de idade recebem atendimento em creches ou instituições equivalentes”, revelou.

“É fato que o Brasil tem avançado.

Mas é preciso investir decisivamente na qualidade do ensino, na valorização do magistério, na boa gestão das escolas e na diversificação de oportunidades no acesso à educação.

E, sobretudo, na avaliação consistente que permita nortear as políticas públicas voltadas para a qualidade.

Não há progresso de um País sem educação de base de qualidade” finalizou o deputado Canziani.

Agência Trabalhista de Notícias