Canziani protesta contra entraves para captação de recursos para Paraná

PTB Notícias 17/02/2010, 10:40


Os dados de execução orçamentária elaborados pela Câmara Federal e pelo Senado mostram que os parlamentares do Paraná têm uma dificuldade recorrente para garantir maior repasse de verbas.

No ano passado, o estado recebeu R$ 64,5 milhões em emendas de bancadas.

Isso representou pouco menos da metade do que havia sido autorizado (R$ 136,2 milhões).

Com esse desempenho, a bancada paranaense foi apenas a 15ª, entre as 27 unidades federativas, em liberação de recursos.

Segundo o deputado Alex Canziani (PTB), coordenador da bancada do Paraná, o principal entrave para a captação de recursos para o estado é o número reduzido de universidades federais.

Atualmente, há apenas duas instituições: a Uni­­­versidade Federal do Paraná (UFPR) e a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), que só ganhou esse status em 2005.

A terceira, a Uni­­­versidade Federal de Integração Latino-Americana, foi criada no ano passado e deve iniciar as aulas no segundo semestre deste ano.

Em Minas Gerais, por exemplo, há nove instituições; no Rio Grande do Sul, dez.

Falta de apoioMas Canziani critica a falta de apoio do governador Roberto Requião (PMDB).

“Uma coisa é um parlamentar, ou mesmo a bancada correr atrás.

Se houvesse a presença mais forte do Executivo, seria muito mais fácil.

Queira ou não, o grande líder de um estado é o governador.

Mas isso não é de agora.

Com o Jaime Lerner também era assim”, relata.

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, já mencionou em várias ocasiões que o estado poderia receber outro tratamento se houvesse mais empenho do governo estadual.

Canziani também se diz insatisfeito com o escritório político do Paraná em Brasília, chefiado por Eduardo Requião.

“Não modificou em nada a situação.

” Sobre a atuação dos parlamentares no Congresso, o deputado é categórico: “Sempre que o Paraná precisa, a bancada se une.

Não existe essa coisa de um partido ou outro partido.

O que falta é a instituição governo estadual para pleitear recursos.

” * Agência Trabalhista de Notícias com informações do Portal RPC