Cassiá quer maior destinação de recursos para a prática desportiva escolar

PTB Notícias 9/11/2011, 7:18


As políticas para prática esportiva nas escolas estaduais foram tema de debate, nesta terça-feira (8/11), na Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.

A audiência pública foi requerida pelo deputado Cassiá Carpes (PTB-RS), com o propósito de discutir com representantes do governo do Estado questões como a aplicação de recursos para o esporte escolar prevista para o próximo ano letivo.

Participaram da reunião o secretário estadual de Esporte e Lazer, Kalil Sehbe, a presidente da Fundação de Esporte e Lazer do RS (Fundergs), Renita Dametto, representantes da Secretaria Estadual de Educação e o diretor do Conselho Regional de Educação Física, Giovani Bavaresco.

Conforme Cassiá, que presidiu a Comissão Especial para a Prática Desportiva nas Escolas Públicas Estaduais em 2009, o relatório final dos trabalhos sinalizava problemas como a precariedade de material e espaço físico adequado à atividade esportiva em determinados municípios.

Ele lembrou que das 11 sugestões apontadas no documento para fortalecer o esporte como instrumento de educação, inclusão social, cidadania e melhoria na qualidade de vida de crianças e adolescentes, apenas duas foram atendidas.

“A criação da Secretaria de Estado específica e realização de concurso público para provimento de cargos na Fundergs, especialmente de profissionais da área de Educação Física, foram contempladas”, frisou.

O trabalhista ressaltou, no entanto, a necessidade de soluções para pontos importantes, como a criação de uma rubrica específica para aquisição de material esportivo, a destinação de recursos para o incentivo do esporte escolar, e a valorização do professor de educação física.

“De três mil escolas no Estado, mais de oitocentas não têm quadra ou sequer um campinho.

Isso é um absurdo, considerando que o esporte auxilia o jovem no todo”, avaliou.

Também foi questionado por Cassiá o fato de a orientação referente à atividade esportiva escolar ser de competência da Secretaria de Educação, e não da de Esporte ou da própria Fundergs.

“Se a Fundação destinasse 20% dos recursos oriundos da Lei Pelé para a prática esportiva escolar, daria um montante de cerca de R$ 1 milhão que ajudaria a mudar essa triste realidade”, ponderou Cassiá.

Valorização do Esporte Para o secretário Kalil Sehbe, a criação da Pasta é uma demonstração de que o tema é prioritário para o Executivo.

“Estamos construindo, junto com a comunidade, políticas públicas focadas no esporte educacional, de alto rendimento e no desenvolvimento do esporte”, destacou.

De acordo com Sehbe, também está sendo redefinindo o papel da Fundergs.

Informou, ainda, que por meio de decreto deverá ser extinto o Conselho Regional de Desporto e criado o Conselho Estadual de Esporte.

Já a representante do Departamento de Educação Esportiva da Secretaria Estadual de Educação, Carla Magalhães, disse que está em fase de conclusão o mapeamento das condições de infraestrutura para a prática de esportes nas escolas estaduais.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do Portal da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul