Cassiá sugere ensino à distância para democratizar atuação da UERGS

PTB Notícias 16/02/2012, 16:40


A implementação do Ensino à Distância (EAD) pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS), como forma de minimizar a crise enfrentada pela instituição, foi sugerida pelo deputado Cassiá Carpes (PTB) nesta quinta-feira, 16/02/2012), em pronunciamento no período do Grande Expediente.

Relator da Comissão Especial para Acompanhar a Situação e os Rumos da UERGS, instalada no final de 2011, o parlamentar avalia a medida como alternativa para reduzir custos administrativos e multiplicar o número de alunos, contribuindo para a efetiva democratização do acesso ao ensino.

“Se tomarmos os cursos oferecidos pelas universidades privadas, observamos que o custo do ensino à distância representa, em média, 35% do valor de um curso presencial.

Com isso, teríamos três vezes mais alunos”, argumentou.

De acordo com o trabalhista, hoje, no Rio Grande do Sul, há 423 polos de apoio presencial credenciados no Ministério da Educação (MEC) e vinculados ao ensino à distância.

“O que mais chama a atenção é que as universidades privadas respondem por quase a totalidade desses polos, sendo 85% contra 15% dos federais, e nenhum estadual”, informou.

Instituída em 2001, a UERGS possui 24 unidades distribuídas pelo território gaúcho, somando 2.

108 alunos, 130 professores e 135 funcionários, segundo dados de setembro último.

Esse contingente sofre com a defasagem de pessoal, material e dotação orçamentária anual, que não chega a R$ 30 milhões.

“O descontentamento que atinge o corpo docente se reflete na evasão de professores e também de estudantes, movidos pela insegurança em relação à continuidade dos cursos, considerando a falta de estrutura e de material”, ponderou Cassiá.

A criação de um plano de carreira para professores e funcionários também foi levantada como fundamental para reverter a situação da UERGS.

“Ontem, chegou na Assembleia projeto do Executivo neste sentido”, disse o deputado, lembrando ainda que, no ano passado, a Casa autorizou a contratação emergencial de 60 professores para a universidade tentar recuperar um pouco da sua força.

Implantação do EAD – Cassiá também fez referência à legislação que trata do tema, como a Lei 9.

394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, e o Decreto Federal 5773, de maio de 2006, sobre a regulamentação.

“Os cursos de Ensino à Distância, desde que reconhecidos, têm o mesmo valor que os presenciais, cabendo aos gestores da UERGS a busca pela autorização para a implantação”, disse.

Debates regionais – A Comissão Especial para Acompanhar a Situação e os Rumos da UERGS aprovou visitas às 24 unidades da instituição, distribuídas em sete regiões.

A intenção é identificar a real situação da universidade e assinalar problemas e sugestões que serão levados ao Executivo.

“Tenho convicção de que este trabalho possibilitará dar um passo importante na realização do sonho de ser uma universidade pública bem elaborada, que atenda aos aspectos das regiões, aos anseios dos gaúchos e colabore diretamente para o desenvolvimento e crescimento do nosso Estado”, finalizou Cassiá.

Ivana Souza – Agência Trabalhista de Notícias, com informações da Assembleia Legislativa do Rio Grande do sul