Castelo Branco aponta descaso no alto Solimões e São Paulo de Olivença

PTB Notícias 18/07/2013, 20:36


A visita da Frente Parlamentar de Regularização Fundiária da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) aos 16 municípios do alto Solimões e Juruá serviu, também, segundo a presidente da Frente, deputada Vera Castelo Branco (PTB), como meio para moradores e autoridades da região fazer reclamações com relação à saúde, educação e segurança nas aldeias indígenas, a exemplo de São Paulo de Olivença, onde arrombaram até o Tribunal de Justiça.

Do local, levaram armas apreendidas pela polícia e, o pior, o juiz não estava presente, só apareceu na época da eleição, voltando agora para liberar todos os detentos presos em uma operação policial.

“É lamentável, mas não existe nem juiz, nem promotor nesse município”, disse a deputada, afirmando que já está providenciando uma indicação para levar esse assunto ao Ministério Público e ao Tribunal de Justiça para resolver o problema.

Contudo, disse Castelo Branco, o maior grito de clamor da população dessa região é em respeito à Secretaria de Produção Rural (Sepror), cujo gestor é o ex-deputado Eron Bezerra (PCdoB), que para eles é uma “balela”.

“Uma secretaria que praticamente não existe, não possui políticas públicas, em benefício aos municípios do interior, ao contrário, só faz mídia na capital e nada que possa dar alento aos agricultores do interior.

Segundo a deputada, a reclamação contra o secretário Eron Bezerra foi a que mais se destacou, ultrapassando até o tema principal da reunião que é a regularização fundiária.

Outra denúncia que tomou foco foi a da construção de um frigorífico em Tabatinga que foi todo equipado, mas jamais foi entregue à população e que hoje está completamente depredado devido à erosão provocada pela ação do tempo”.

“Essa obra está completamente destruída, abandonada e inservível, hoje, para uso.

Uma obra edificada com o dinheiro do povo e que nem inaugurá-la agora pode acontecer, porque sua estrutura está toda comprometida, tirando o sonho de muitas pessoas que esperavam que aquele frigorífico fosse a redenção para a estocagem de produtos.

Até um caminhão, que seria utilizado no frigorífico, também está comprometido”, denunciou a deputada.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da assessoria da deputada Vera Castelo Branco (PTB-AM)Foto: Assessoria