Castelo Branco emplaca lei de vacinação contra o HPV em escolas municipais

PTB Notícias 3/05/2012, 12:46


A vacinação contra o HPV (Vírus do Papiloma Humano) em meninas e jovens da faixa etária de 11 a 16 anos, com ênfase nas de 11 e 12 anos, será obrigatória nas escolas de rede pública municipal, no âmbito da cidade de Manaus.

Isso é o que determina o Projeto de Lei de autoria do vereador Reizo Castelo Branco (PTB-AM) aprovado pelo plenário da Câmara Municipal de Manaus e encaminhado à sanção do prefeito Amazonino Mendes (PDT) para virar Lei.

A proposta, que tramitava na CMM desde 2010, foi aprovada por unanimidade do plenário depois de passar pelo crivo das comissões técnicas da Câmara e pelos três pedidos de vistas dos vereadores-médicos, que queriam conhecer detalhadamente os fundamentos da proposta e reconhecerem a importância da iniciativa na prevenção da saúde feminina em Manaus.

Reizo Castelo Branco argumentou que o câncer de colo de útero é o que mais mata mulheres na região Norte do Brasil, sobretudo no Estado do Amazonas.

“De todos os tipos de câncer que o CECON (Centro de Oncologia) trata em Manaus, o de colo de útero atinge um percentual em torno de 68% das mulheres”, afirmou.

Os vereadores-médicos reconheceram que existe uma relação direta entre o HPV e o câncer de colo de útero.

“Esse vírus está presente em 99,7% das mulheres portadoras deste tipo de câncer.

Pode-se afirmar que a relação causal entre câncer de colo de útero e a presença do HPV é 50 vezes maior que a relação entre o fumo e o câncer de pulmão”, atestou o vereador Dr.

Denis Almeida, que é médico ginecologista.

O médico explicou que o HPV é um vírus altamente contagioso e muito comum, transmitido sexualmente com mais de 100 tipos.

“Dentre os mais comuns destacam-se o 16 e o 18 de alto risco para o câncer de colo de útero e o 6 e o 11 que causam verrugas genitais.

O contágio desse vírus se dá pelo contato da pele e o que é pior e assustador, há comprovação de que o uso de preservativo não é suficiente para a prevenção desta infecção.

A alta prevalência na população feminina vem se alastrando para a população masculina”, alertou.

De acordo com o projeto, a vacinação será coordenada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) em cooperação com a Secretaria Municipal de Educação (Semed) e as despesas decorrentes dessa campanha ficarão por conta da dotação orçamentária da Saúde.

O município terá o prazo de 180 (cento e oitenta) dias, a contar da data da publicação da Lei, para iniciar o programa de vacinação em toda rede municipal de ensino.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Câmara Municipal de ManausFoto: Plutarco Botelho/Câmara Municipal de Manaus