Castelo Branco quer regulamentação do transporte hidroviário amazonense

PTB Notícias 26/11/2013, 19:00


Em aparte ao pronunciamento do deputado estadual Adjuto Afonso (PP), onde destacava a regulamentação do transporte hidroviário de passageiros e cargas no Amazonas, a deputada e 2ª secretária da Assembleia Legislativa do Estado, Vera Castelo Branco (PTB), lembrou que, na legislatura passada, juntamente com Adjuto, foram autores de um projeto de lei para normalizar esse segmento.

“Esse foi um projeto que tomou muito tempo, onde procuraram analisar todos os detalhes e minúcias, organizando um trabalho que chegou a esta Casa pronto para as devidas considerações”, disse a deputada.

Vera Castelo Branco ressaltou a importância desse projeto para o setor de transporte marítimo do Estado.

Para isso, disse que foi realizada uma audiência pública na Assembleia para que fosse feita a finalização do projeto de lei, além de colher mais subsídios ficando a Aleam lotada de pessoas interessadas na aprovação.

Depois disso, disse Vera, a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) deste Poder, achou por bem arquivar o projeto afirmando que ele era inconstitucional, mas o governo do Estado, por meio de seus representantes, afirmou que “em questão de dias estaria mandando uma mensagem para suprir esse “buraco negro” em que se encontra, hoje, o transporte hidroviário em nosso Estado, só que isso nunca ocorreu”, salientou a parlamentar.

Vera disse considerar essa é uma questão preocupante.

“Quando ouço essas propostas por parte de pessoas que se dizem representantes do governo já fico preocupada e com medo de que as coisas não aconteçam”, assinalou.

A deputada afirmou que recentemente recebeu na Assembleia a visita de vereadores do município de Benjamim Constant, cobrando do Parlamento uma posição sobre essa questão.

“Eu fui franca e disse a eles que de mim eles não poderiam cobrar nada, pois já tinha feito tudo que estava em meu alcance.

O que posso dizer é que não vamos nos omitir vamos continuar essa luta até ver esse projeto aprovado para o bem-estar de nossa população do interior que depende desse transporte”, observou a deputada.

“Muitas pessoas dependem desse tipo de transporte, haja vista, que o transporte aéreo é inviável para a população que não dispõem de recursos para arcar com uma viagem de avião, ou seja, não possuem acesso.

Já no transporte hidroviário a situação é diferente, mesmo assim, existem os contratempos em torno de linhas e horários, além de em sua maioria estar sempre lotados e deixar as pessoas sem poder viajar, muitas vezes, por dias.

Não existe uma regularidade”, afirmou.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Assembleia Legislativa do AmazonasFoto: Danilo Mello/Aleam