Cel Ubiratan diz que Guardas Municipais devem ter direito a porte de arma também fora do expediente

PTB Notícias 20/07/2006, 15:03


Alterar o Estatuto do Desarmamento e dar direito total ao porte de armas a todas as Guardas Municipais.

Este foi o tema defendido pelo deputado estadual Coronel Ubiratan (PTB/SP) durante a reunião extraordinária ocorrida no início desta semana, que contou com a presença de mais de 300 guardas de várias cidades do interior do Estado e do presidente da Associação das Guardas Municipais do Estado de São Paulo (AGMESP) e da Associação das GM do Brasil (AGM-Brasil), Carlos Alexandre Braga.

De acordo com o deputado, todas as Guardas Municipais, independentemente do porte do município, deveriam utilizar armas de fogo no período de serviço e fora do expediente de trabalho.

A Lei do Desarmamento dá direito a porte de arma apenas aos guardas-municipais das capitais dos Estados e dos Municípios com mais de 500 mil habitantes, nas condições estabelecidas no regulamento desta Lei; e dos Municípios com mais de 50 mil e menos de 500 mil habitantes, quando em serviço.

“Temos que alterar o Estatuto do Desarmamento urgentemente e dar direito ao porte de armas a todas as Guardas Municipais, fora e durante o trabalho”, frisou o deputado, dizendo que bandido não tem hora para ficar armado e tampouco não escolhe o tamanho populacional do município para praticar crimes.

“Os guardas estão à mercê da violência.

Para ser ter uma idéia, na última onda de ataques do PCC, três guardas-municipais morreram e outros 20 foram feridos”, comentou.

Para o deputado é preciso unir forças para combater à criminalidade.

“Precisamos dar poder de fogo aos 28 mil guardas paulistanos, para que em conjunto com as Polícias Civil e Militar possam acabar com a violência que assola a sociedade brasileira.

Além disso, os guardas precisam ter condições de se defender e defender a nossa população”, argumentou, afirmando que vai ajudar as Guardas Municipais nessa empreitada e que eles podem contar o seu apoio.

Durante o encontro a Agmesp recolheu mais de 300 assinaturas, incluindo a do deputado estadual Coronel Ubiratan, com parte do abaixo assinado que será entregue ainda esta semana ao Ministério da Justiça.

No documento, as GMs fazem seis reivindicações, entre elas a alteração na Lei 10.

826/03 que rege o Estatuto do Desarmamento.

Agência Trabalhista de Notícias (com informações da Ass.

do deputado Coronel Ubiratan)