Célia Rocha debate novas fontes de financiamento para a área da saúde

PTB Notícias 19/10/2011, 10:37


A deputada alagoana Célia Rocha comenta sobre as novas fontes de financiamento para a área da saúde, no programa Palavra Aberta, da TV Câmara, em decorrência da rejeição de um novo imposto com base nos antigos moldes da CPMF.

“Acho essa questão de se procurar um novo financiamento para a saúde uma bobagem.

Ninguém fica procurando recurso novo para o PAC, mas quando se tratada da saúde, sempre está ligado a algum tributo.

O dinheiro para a saúde teria que vir independente disso”, afirma a petebista.

A parlamentar ressalta o papel do Senado neste momento: ” O projeto da Câmara tirou a CSS e incluiu a retirada do dinheiro do FUNDEP, diminuindo assim a base de cálculo.

Acrescenta um pouco e define o que são as ações do serviço de saúde, então o Estado vai ter que se enquadrar, porque os municípios já pagam além do constitucional há muito tempo.

Cabe agora ao Senado rejeitar totalmente o projeto da Câmara e isso significaria trazer de volta o do projeto de ex- senador Tião Viana, que dá 10% do valor da receita bruta da União para a área da saúde”, analisa a deputada.

Célia Rocha apresenta dados envolvendo pesquisas na área da saúde e enfatiza uma postura da presidenta Dilma: “A presidenta Dilma vai dizer que tipo de saúde ela vai ofertar para o povo brasileiro.

Porque existem muitos gastos para serem questionados.

Eu soube de um estudo dos auditores fiscais, que dizem que o País ,em 2010, arrecadou um trilhão e quatrocentos bilhões, ou seja, 44% para pagamento de juros e 4% para a saúde.

Se tirarmos 2% dessa arrecadação, já tiramos a saúde desse desfinanciamento.

Cabe a presidenta Dilma priorizar a saúde”, ressalta a petebista.

A parlamentar analisa os avanços do Sistema Único de Saúde (SUS) e cobra uma decisão política: “O SUS incluiu toda a população que não tinha acesso a nada.

É preciso ter uma decisão política.

Já que a Câmara infelizmente não fez um projeto e não concluiu de forma satisfatória, que a presidenta Dilma tenha a sensibilidade que ela tem demonstrado para a saúde dos brasileiros.

Os médicos não saem preparados para o SUS.

Acho que antes da passar pela residência, todos os médicos deveriam passar pelo Sistema Único de Saúde”, enfatiza a deputada.

Agência Trabalhista de Notícias, por Paula de Biasi