Chico Galindo quer mudança drástica na educação brasileira

PTB Notícias 18/05/2007, 10:30


O deputado estadual Chico Galindo (PTB/MS) posicionou-se favoravelmente a uma a uma mudança drástica na educação brasileira para conter o alto índice de evasão escolar.

Membro da Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia, Cultura e Desporto do Mato Grosso do Sul, o petebista afirmou sua posição após a apresentação dos resultados de uma pesquisa realizada sobre os “Indicadores Educacionais da Educação Básica” pela superintendente de Planejamento e Modernização da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Rosângela Garcia Cunha.

Rosângela divulgou dados referente à questão orçamentária e planejamento onde, segundo ela, a equipe mostrou um resultado preocupante para o futuro do estado.

“Os trabalhos foram efetuados em vários fatores, como por exemplo, da gestão institucional onde foram avaliados a coordenação, acompanhamento e metodologias com normas de procedimentos”, explicou a superintendente.

Um dos pontos mostrados por ela foi o número de matrículas efetuadas no Ensino Fundamental que, a cada ano, vem diminuindo gradativamente.

Os dados comprovam que, em 2002, foram matriculados na rede pública de ensino de Mato Grosso 602.

428 alunos.

Em 2006 estes números cairam para 578.

788.

De acordo com a pesquisa, no Ensino Médio os números são ainda mais preocupantes: em 2002 foram matriculados 121.

605 estudantes e, em 2006, 156.

942 alunos.

“Temos que traçar metas para alcançarmos nossa programação.

Podemos citar como exemplo que, no ano passado (2006) tivemos 17.

7% de abandono de alunos na rede pública de ensino e a Seduc está preocupada com esse índice”, disse Rosângela.

O deputado petebista mostrou-se muito preocupado com estes dados: “Os números mostrados pela Seduc comprovam que não há perspectiva alguma para esses alunos”, afirmou.

Para reverter esse quadro, a superintendente acredita que o estado precisa dar condições de trabalho aos professores e também às escolas.

“Por intermédio da revisão do planejamento estratégico participativo vamos reverter essa evasão”, aponta ela.

Agência Trabalhista de Notícias (com informações do Jornal Documento)