Collor defendeu no Senado mudança de mentalidade sobre meio ambiente

PTB Notícias 23/12/2008, 17:52


O senador Fernando Collor defendeu neste ano de 2008, no Congresso Nacional, que a humanidade passe por uma readaptação ao novo ciclo ambiental mundial.

Para o petebista, o planeta vive hoje a era das catástrofes naturais, que fazem com que o homem entre em um quadro constante de tensão.

“São também notórios e de todos conhecidos os danosos e terríveis efeitos que o aquecimento global causam ao nosso planeta.

Precisamos criar, urgentemente, formas de lidar com esses fenômenos”, disse Collor no Plenário do Senado.

Fernando Collor acredita que somente por meio de uma mudança de mentalidade e de hábitos no sentido de economizar recursos naturais.

Somente por meio da criação dessa nova mentalidade, afirma o senador, propiciará o desenvolvimento de tecnologias que permitirão utilizar menos recursos naturais para obter maiores ganhos no processo econômico e social.

“A construção do novo pensamento é tarefa que exige um pacto governo-sociedade.

Não será resultado de iniciativas isoladas.

Além das grandes linhas de pensamento e ação, a nova consciência deverá permear nosso próprio cotidiano, nossas atitudes no dia-a-dia.

Aqui mesmo, no Congresso Nacional, podemos dar vigor e curso a uma cruzada, já bem iniciada, para nos adaptar às novas circunstâncias ambientais”, sugeriu o senador, lembrando que já deu inicio a essas mudanças com medidas pequenas como a utilização de papel reciclado em seu gabinete.

O senador Fernando Collor defendeu ainda que o povo deve continuar trabalhando contra o desmatamento predatório que agrava o aquecimento global.

E lembrou que somente as queimadas na Amazônia Legal despejam na atmosfera duzentos milhões de toneladas de CO2.

O restante do Brasil, incluindo os efeitos poluidores da atividade industrial, é responsável pela emissão de oitenta milhões de toneladas.

O resultado negativo do desmatamento no Brasil o coloca entre os cinco maiores causadores do aquecimento global.

Ele alertou também para diminuição dos mananciais potáveis no mundo.

O senador defendeu a adoção de tecnologias para o reuso da água e do aproveitamento da água da chuva, por meio de medidas simples.

Contudo, segundo avaliou, é preciso um permanente compromisso do poder público com a adoção de políticas adequadas aos novos tempos.

Um exemplo é o setor de transporte urbano.

Torna-se necessária uma oferta de transportes coletivos, onde deve prevalecer a universalidade no atendimento ao público com qualidade, preço acessível e pontualidade.

Collor lamentou ainda que 16 anos após a realização da Rio 92, maior conferência mundial sobre meio ambiente, pouco ou nada foi cumprido.

Por fim, o senador lembrou que no ano passado lançou a idéia da realização de uma nova conferência mundial sobre meio ambiente a ser realizada em 2012 no Brasil, chamada Rio + 20, de avaliação dos progressos que teriam sido alcançados, dos retrocessos e de descortino dos avanços necessários sobre o patamar da Rio 92.

A idéia já foi abraçada pelo presidente Lula, que já divulgou a proposta no discurso de abertura da 62ª Assembléia Geral das Nações Unidas em Nova York, além de a ter apresentado na última reunião do G-8.

fonte: Assessoria do Senador Fernando Collor (PTB-AL)