Collor preside seminário com reivindicações por mais investimentos

PTB Notícias 30/03/2014, 12:55


O aumento dos investimentos, a desburocratização de processos e a redução de impostos incidentes sobre serviços essenciais como energia elétrica, transportes e combustíveis são algumas das soluções apontadas pelos participantes do 1º Fórum Nacional de Infraestrutura para o país enfrentar as grandes carências existentes no setor.

O evento, promovido pela Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) do Senado, presidida por Fernando Collor (PTB-AL), começou na quinta-feira (27/03/2014) e terminou nesta sexta, após realizar debates com a participação de especialistas, ministros de Estado e outras autoridades.

Essas discussões, que envolveram sete mesas redondas, deram origem a diversas proposições e documentos, que serão agora consolidados e servirão para subsidiar mudanças concretas na legislação.

De acordo com o senador Fernando Collor (PTB-AL), presidente da CI, todas as sugestões serão consolidadas até quarta-feira (2/4/2014) para que se decida o encaminhamento de cada uma, seja por meio de propostas de emenda à Constituição (PEC), de projetos de lei ou recomendações ao Executivo.

No entendimento do senador, a equipe de especialistas alcançou todos os objetivos propostos.

– A eficiência imperou por causa da metodologia, e cumprimos eficientemente as tarefas propostas.

A continuidade da missão está nas mãos da CI, com a responsabilidade de avaliar e materializar esses resultados, encaminhando-os para a prática – disse Collor.

O senador lembrou que algumas áreas, como transportes, têm grande participação dos estados e municípios, o que exigirá posterior envolvimento dos gestores municipais e estaduais: – Os governadores e prefeitos terão de tomar conhecimento e serão chamados a contribuir com esse projeto.

O encerramento do fórum foi feito pelo embaixador Rubens Barbosa, que coordena o Conselho Superior de Comércio Exterior da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp).

Ele descreveu brevemente entraves na infraestrutura que aumentam o custo Brasil: – Sentimos a retração pela incerteza e mudanças de regras.

O investidor privado, nacional e estrangeiro, reluta em avançar quando não vê uma perspectiva clara e transparente, ou observa o Estado crescer sua participação, com a diminuição correspondente do papel das agências reguladoras – disse.

Rubens Barbosa também citou preocupantes dados de organismos internacionais.

Ele lembrou que o Fórum Econômico Mundial coloca o Brasil em 114º lugar entre 148 países na questão de infraestrutura.

Estudo divulgado nesta semana pelo Banco Mundial mostra que o Brasil perdeu 20 postos no ranking global de logística, ocupando agora o 65º lugar.

Já a revista The Economist lembrou que apenas 1,5% do PIB brasileiro vai para investimentos de infraestrutura, quando a média mundial é de 3,8%.

Por fim, a agência Mackenzie Global estima que o valor total da infraestrutura do Brasil representa 16% do PIB nacional.

Na Índia, é 52%.

Nos países desenvolvidos, 71%.

– Para chegar a isso, o Brasil precisa triplicar os investimentos no setor nos próximos 20 anos – estimou o embaixador.

fonte: Agência Senado