Consulta popular do PTB-Rio Claro sobre aumento de vereadores avança

PTB Notícias 8/06/2011, 7:06


Alheio às críticas de alguns partidos políticos, que avaliam a iniciativa como demagógica, o diretório municipal do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) avança com a consulta popular, tendo como objetivo levantar a opinião da comunidade sobre possível aumento do número de vereadores na Câmara de Rio Claro (SP).

O Presidente da sigla em Rio Claro, Antonio Fernando David Tu Reginato, confirma que mais de 700 opiniões foram computadas pelo partido até o momento.

O trabalho vai se encerrar no próximo sábado, às 14 horas, e a apuração está marcada para segunda-feira no mesmo horário.

De acordo com Tu Reginato, o PTB espalhou urnas em diversas regiões da cidade.

No último domingo, por exemplo, o trabalho foi desenvolvido junto aos moradores da zona norte do município com urna móvel instalada na Feira Livre do Cervezão.

“Cerca de 150 pessoas manifestaram-se com relação ao assunto”, adianta Tu Reginato.

A consulta popular avança também entre os grupos da Melhor Idade e acadêmicos.

As urnas fixas encontram-se no Jardim Público (uma no coreto e outra na Avenida 3) e no terceiro andar do Paço Municipal, localizada no gabinete do vereador Sivaldo Faísca.

“Todas as urnas encontram-se sob a responsabilidade de membros do PTB devidamente uniformizados.

O objetivo do nosso partido é apurar o que o povo pensa da possibilidade de Rio Claro ter 21 vereadores a partir da próxima legislatura”, aponta Tu Reginato.

Emenda constitucional prevê que a Câmara local possa ter entre 20 e 21 vereadores.

Atualmente, o Legislativo conta com 12 cadeiras.

Dois grupos políticos já se manifestaram a favor do aumento de vagas.

O grupo formado pelo PT, PMDB e PCdoB entende que Rio Claro deve ter entre 20 e 21 vereadores a partir de janeiro de 2013.

Mesmo assim, nenhum dos cinco parlamentares do grupo apresentou emenda para alterar a proposta apresentada pela Mesa Diretora da Casa, que mantém as 12 vagas.

O grupo político formado pelo PSDB, PV, PDT e PPS também posiciona-se a favor das 21 cadeiras, por entender que tal medida vai aumentar a representatividade popular no Legislativo sem aumentar os gastos.

Nenhum desses partidos ocupa cadeira atualmente na Câmara.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal Jornal Cidade