Coronel Queiroz comenta 69 anos da Academia de Polícia Militar de Goiás

PTB Notícias 13/06/2009, 9:06


Leia abaixo o artigo do Deputado Estadual Coronel Queiroz (PTB-GO) publicado no jornal “Diário da Manhã”, edição de 12.

06.

2009: “Esta epígrafe, assentada em destaque nos portões da Academia de Polícia Militar, reflete a realidade da nossa corporação sesquicentenária.

Esta expressão ecoa nos mais distantes rincões do Estado de Goiás.

E praticamente todos os policiais militares têm histórias e aventuras para narrar durante sua estada em nossa escola de honra e lealdade, onde realmente começa a Polícia Militar.

Agora em 2009, mais precisamente no dia 11 de junho, a Academia de Polícia Militar completa 69 anos de existência.

São décadas dedicadas à formação, especialização e aperfeiçoamento de oficiais e praças.

São os inúmeros cursos que merecem destaque: Curso Superior de Polícia; Curso de Especialização em Gestão de Segurança Pública; Curso de Gestão de Segurança Pública; Curso de Especialização em Educação, em Polícia Judiciária, em Direitos Humanos, em Trânsito, em Policiamento Ambiental, em Policiamento Rodoviário etc, e outras tantas páginas seriam necessárias para esgotar o rol de cursos oferecidos aos militares.

É salutar frisar que esses cursos, pelo seu grau de credibilidade, atraem policiais das diversas unidades da federação.

Entre elas: Minas Gerais, Rio de Janeiro, Alagoas, Amazonas, Piauí, Maranhão, Acre, Rondônia, Sergipe, Espírito Santo.

Há também oficiais de outros países, a exemplo de Bolívia e Uruguai.

Desde a década de 1940, a Academia de Polícia Militar recebeu diversas denominações: Departamento de Instrução (DI); Departamento de Instrução Militar (DIM); Centro de Formação e Aperfeiçoamento (CFA) e, finalmente, Academia de Polícia Militar (APM).

Desde 1966, a Academia de Polícia Militar forma os oficiais da PM-GO e de outras corporações policiais do Brasil.

São 31 turmas de comandantes colocados à disposição do povo goiano.

Toda essa história arraigou-se de tal forma no cotidiano policial militar, acalentando sonhos, aspirações, desejos e receios, que indelevelmente surgem nas nossas lembranças os dias em que passamos naquele ambiente.

Por tudo isso, apesar dos solavancos das idas e vindas político-administrativas, a Academia de Polícia Militar se mantém de pé, atalaia altaneira, referencial para todos nós.

Grandes ex-comandantes-gerais foram também comandantes da APM, e o comandante-geral, coronel QOPM Carlos Antônio Elias, é um dos expoentes dessa safra de valorosos oficiais.

Cada ex-comandante da APM merece um encômio em apartado, por sua contribuição na construção e solidificação da tradição de uma instituição educacional qualificada como uma das melhores do País.

Como também cada obreiro, soldado ou cabo, sargento ou subtenente, capitão ou coronel que ali doou seu trabalho e seus dias de glória para a concretização desse monumento ativo da civilidade, da lealdade, da honra, da disciplina e da servidão ao bem-estar geral dos goianos.

Agora, como uma jovem aos 69 anos de existência, relembremo-nos daquele janeiro que se iniciava nos idos de 1966, quando adentrava aos portões da Academia de Polícia Militar o então recém-declarado aspirante a oficial da PM João Batista de Oliveira (aspirante Oliveira), formado na então Força Pública de São Paulo (atual Polícia Militar do Estado de São Paulo), que, à época, já era a maior corporação policial da América Latina, e em pronunciamento repleto de galhardia fez repercutir e ecoar a frase que se eternizou: Aqui começa a Polícia Militar.

Hoje a nossa Academia de Polícia Militar está em excelentes mãos.

Com um projeto vanguardista de reformular e ingressar em um novo paradigma educacional, o tenente-coronel QOPM Magno Antônio Mariani é a promessa e compromisso de um presente e um futuro digno do que a nossa escola representou no passado.

Com projetos de salas de aulas arrojados, uma biblioteca informatizada, a Revista Científica Brasileira de Segurança Pública (Rebesp), e agora, em fase final de parceria com a Universidade Federal de Goiás, para a realização de pós-graduação de nossos oficiais.

Por tudo isso, hoje podemos cantar e dizer: Alvorada a corneta anuncia os anhangueras da paz.

.

.

a APM alerta está.

[.

.

.

] pela justiça lutamos, a vitória é o nosso troféu.

Bandeirantes nós somos a lei, pela paz estamos vigilantes conscientes do nosso dever [.

.

.

] a APM é quem forja os infantes, ministrando ao soldado o saber [.

.

.

] se preciso daremos a vida, nosso lema é Goiás defender”.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações da Assembléia Legislativa de Goiás