Crippa exalta GCM e ratifica luta por Secretaria de Segurança Pública

PTB Notícias 4/08/2014, 12:00


Reivindicação antiga do vereador Marcos Crippa (PTB), presidente da Câmara de Catanduva (SP), o fortalecimento da GCM (Guarda Civil Municipal) poderá ganhar corpo a partir da sanção do Estatuto Geral das Guardas Municipais pela presidente Dilma Rousseff.

Aprovada pelo Congresso Nacional, a proposta concederá poder de polícia aos órgãos municipais de segurança.

“Hoje a segurança pública é uma instituição falida, o crime cresceu, avançou e muito, e a polícia não acompanhou esse crescimento.

A bandidagem cresceu e a polícia encolheu.

O município tem obrigação de cuidar da segurança pública também.

Não há porque ter a Guarda Municipal andando armada pelas ruas sem poder cuidar do cidadão”, afirma.

Defensor ferrenho de investimentos na qualificação de policiais e guardas civis, Crippa já proferiu inúmeros discursos criticando o que considera ser a “falência” das polícias militar e civil.

“Não adianta o governo investir em viaturas e armamentos, mas não investir no ser humano”.

Para a GCM local, o parlamentar propôs, inclusive, a “Bolsa-Formação”.

Uma das formas de reforçar o combate ao crime, na visão de Crippa, é com a criação da Secretaria Municipal de Segurança Pública, proposta feita ao ex-prefeito Félix Sahão Jr.

, via requerimento nº 6.

898, em junho de 2004 – há exatos 10 anos.

“A Guarda Municipal seria mais equipada e trabalharia em conjunto com os demais órgãos de segurança.

“No documento elaborado por Crippa e não encampado pelo ex-prefeito, o vereador petebista indica que a secretaria abrangeria a GCM e a Defesa Civil, assim como ações relacionadas à vigilância, controle de frota e fiscalização de trânsito.

Seria dela a função de planejar, coordenar e supervisionar todas as atividades na área de segurança em Catanduva.

“O cidadão não tem obrigação de fazer contratação e se cotizar para pagar segurança para proteger o seu patrimônio.

Essa obrigação é do governo do Estado, mas tem que ter ações do município.

Enquanto o município não participar e enfrentar a bandidagem como ela tem que ser enfrentada, vamos assistir ao que estamos assistindo”, lamenta Crippa.

BenefíciosNão é de hoje que Marcos Crippa luta por melhorias na Guarda Civil Municipal.

Em 2003, projeto de sua autoria tornou obrigatório o uso de coleto antibalístico em rondas e ações ostensivas.

Em 2010, propôs que recursos do Fundo Municipal de Trânsito viabilizassem a atividade delegada.

Este ano, Crippa solicitou a “Bolsa-Formação”, via Pronasci.

Novo EstatutoO projeto de lei do Estatuto Geral das Guardas Municipais ( (http://www.

senado.

gov.

br/atividade/materia/Consulta.

asp?Tipo_Cons=6&orderby=0&Flag=1&RAD_TIP=OUTROS&str_tipo=PLC&txt_num=39&txt_ano=2014″ target=”_blank) PLC 39/2014), do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB), amplia os poderes das guardas municipais, dando-lhes poder de polícia.

O projeto atende à demanda por melhorias na qualificação e estruturação de carreira para a categoria, e também autoriza e normatiza o porte de armas de fogo.

Segundo o texto, além da proteção de bens, serviços e instalações, a guarda deverá colaborar com os órgãos de segurança pública em ações conjuntas e contribuir para a pacificação de conflitos.

O prazo para capacitação dos agentes às novas funções será de dois anos – com padronização de equipamentos e uniformes em todos os municípios.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Câmara Municipal de CatanduvaFoto: Divulgação/Câmara Municipal de Catanduva