Crippa mobiliza manifesto para conter descaso da ALL em Catanduva

PTB Notícias 27/04/2011, 7:32


Depois de mais um episódio envolvendo os vagões da empresa América Latina Logística – ALL – o vereador Marcos Crippa (PTB), de Catanduva (SP), convocou os vereadores para um manifesto.

Durante o Pinga Fogo, Crippa apontou que é uma vergonha a situação que Catanduva enfrenta.

“Essa empresa faz com a cidade o que ela quer.

Temos dois projetos referentes aos apitos e às manobras feitas, porém não são cumpridas.

A ALL não está nem aí pra Catanduva”, desabafa o vereador.

O parlamentar citou o descarrilamento ocorrido na última semana, além de os vagões que tombaram terem sido jogados de qualquer maneira na Praça do Idoso.

Crippa aponta ainda o descaso com a praça e a falta de cuidado com o patrimônio público.

“Tem que haver uma mobilização para que algo seja feito.

Temos de fazer um manifesto para que essa empresa cumpra com as leis desse município.

Isso é puro desrespeito, inclusive com os políticos da cidade”, disse.

Após ver os vagões jogados na Praça do Idoso, Marcos Crippa afirmou ter ligado para o secretário de Negócios Jurídicos Ricardo Hummel, para que o município tomasse providências.

Através do secretário Crippa foi informado que haveria uma reunião com o representante da empresa.

Porém, tal reunião não aconteceu, tendo em vista que nenhum representante apareceu.

“É lamentável.

Isso só prova que eles não ligam para a cidade.

O que adiante fazer lei se eles não cumprem? Temos que impedir o trem de passar por aqui e ponto final”, enfatizou.

Além dos descarrilamentos, o parlamentar apontou o caos que o trânsito da cidade vira devido a passagem do trem.

“Temos que mobilizar, nos unir.

Eles só vão sentir quando o trem não puder mais passar aqui, aí sim alguma providência será tomada por parte da empresa”, conclui.

O vereador lembra que há uma lei federal antiga que protege a empresa.

“Na minha avaliação é um bando, uma quadrilha que não está ligando para a cidade e age aqui e em outros municípios”, lamenta.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal O Regional