Crise política com o caso Renan atrasa pauta do Senado, afirma JVC

PTB Notícias 26/06/2007, 10:22


A crise política no Senado está atrasando a votação de matérias importantes para a população.

A afirmação é do senador João Vicente Claudino, presidente do Diretório Estadual do PTB no Piauí, que disse estar preocupado com os encaminhamentos dados a projetos e emendas no Congresso Nacional.

Várias obras previstas no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), destinadas ao Piauí, esperam apenas aprovação no Senado para saírem do papel.

No dia 18 de julho, os senadores entram em recesso.

“Essa crise política acaba causando uma turbulência no Senado, atrapalhando o andamento legislativo de matérias importantes que devem ser votadas e de outras que estão tramitando na Casa”, disse o senador petebista.

Entre as obras importantes que esperam a aprovação dos senadores para serem efetivadas no Piauí, e que são tidas como prioritárias para os governos estadual e federal, estão a construção de pontes, pavimentação asfáltica e a revitalização da bacia do Rio Parnaíba.

Sobre a crise, centrada no possível envolvimento do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) com o lobista Cláudio Gontijo; e no suposto envolvimento senador Joaquim Roriz (PMDBDF), com lavagem de dinheiro, o senador João Vicente Claudino afirmou não ser algo restrito ao mundo da política.

“Esse tipo de problema são coisas inerentes à sociedade, não acontecem apenas na política.

A Polícia Federal, por exemplo, já fez várias operações que atingem a sociedade e que não envolvem políticos”, argumentou o petebista.

O senador JVC disse também não temer um desgaste maior do Senado, especialmente no que diz respeito à perda de credibilidade junto ao eleitorado.

“Esperamos efetivamente consiguir contornar essas coisas.

Há sempre esses problemas.

Eles aconteceram na Câmara dos Deputados e no Executivo, no mandato passado do presidente Lula, e agora afeta o Senado”, relembrou JVC, ressaltando que a principal preocupação dos senadores é desobstruir a pauta hoje emperrada.

fonte: Jornal O Dia (PI)