Cristiane Brasil comenta em jornal políticas para a terceira idade do Rio

PTB Notícias 16/11/2009, 9:44


Leia abaixo matéria publicada pelo Jornal do Brasil nesta segunda-feira (16/11):Idosos sofrem nas ruas da cidadeO assunto não é novo.

Mas, devido à insistência dos problemas, é impossível não falar dele.

Ser idoso no Rio de Janeiro é quase uma tarefa olímpica, embora nenhum carioca da terceira idade deseje que os mesmos obstáculos que enfrentam no dia a dia estejam na maratona de provas da Rio-2016.

Buracos nas calçadas, ônibus sem adaptação e motoristas que, muitas vezes, não respeitam o direito do idoso.

Essas são algumas das principais reclamações dos moradores da cidade, que já passaram dos 60 anos.

Apesar dos problemas relatados, a prefeitura explica que, em alguns locais do Rio, é impossível promover as adaptações necessárias para atender às demandas dos idosos.

É o caso da orla de Copacabana, que é tombada e, por isso, não pode sofrer alterações.

Obras, só nas ruas internas do bairro.

Neste domingo, 15/11, durante o lançamento do bloco carnavalesco AtivaIdade, da prefeitura, muitos foliões aproveitaram para botar a boca no trombone das reclamações.

Além das críticas contra o mobiliário urbano, o convívio com cariocas mais novos também foi alvo de protestos.

Ao todo, 14% da população do estado possui mais de 60 anos.

A secretária de Envelhecimento Saudável e da Qualidade de Vida, Cristiane Brasil (PTB), admitiu domingo, durante o lançamento da campanha “Rio, cidade amiga do idoso”, com desfile de bloco carnavalesco em Copacabana, que é preciso reverter os problemas.

– O Rio tem ações isoladas, mas falta uma rede de serviços – disse Cristiane.

Ginástica nas ruas é a maior oferta de serviços gratuitosApesar de reconhecer a necessidade de realizar muitos projetos para melhorar a qualidade de vida dos idosos no Rio, a secretária da Terceira Idade e da Qualidade de Vida, Cristiane Brasil, apontou projetos positivos no Rio, como as academias gratuitas instaladas nas praças da cidade para os maiores de 60 anos.

A Academia da Terceira Idade é uma iniciativa inaugurada em agosto deste ano, na Praça Serzedelo Correia, em Copacabana (Zona Sul).

A expectativa criar 150 novas academias até o final de 2012.

A prefeitura também é responsável pelo Qualivida, por exemplo, que oferece ginástica gratuita para idosos em 120 praças do Rio.

São 96 bairros beneficiados.

A maioria dos núcleos está localizada nas zonas Norte e Oeste.

Por dia, mais de 100 alunos participam das aulas.

De acordo com a Secretaria da Terceira Idade, esses projetos já permitiram uma redução de 30% do número de consultas e consumo de remédio feitos pelas pessoas com mais de 60 anos que vivem nas regiões contempladas pelas iniciativas.

No ano que vem, o Rio vai sediar o Seminário Internacional do Envelhecimento Ativo e com Qualidade de Vida, que será realizado em maio.

Na ocasião, a secretária Cristiane Brasil promete anunciar uma série de políticas para a terceira idade.

– Vamos criar novas oportunidades.

O envelhecimento não pode ser encarado como o fim.

Eu vi coisas maravilhosas aqui.

Idosos cadeirantes se divertindo numa grande festa – finalizou.

O Rio possui a segunda população idosa mais independente do país, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

São Paulo lidera a lista.

No Rio de Janeiro, apenas 19% dos homens com mais de sessenta anos têm dificuldades para agir com autonomia e independência.

Já com os paulistas, o número atinge a marca de 15%.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações do Jornal do Brasil