Cristiane Brasil lamenta descaso da mídia com Dia Internacional da Água

PTB Notícias 22/03/2007, 11:20


A presidente do PTB do Rio de Janeiro, vereadora Cristiane Brasil, lamentou nesta quinta-feira que o Dia Nacional e Internacional da Água, comemorado neste 22 de março, ainda não receba da mídia em geral a importância que deveria.

“Não existe uma massificação da informação em relação ao uso sustentável da água.

Para se ter uma idéia, essa data somente passou a ser nacional em 2004, ou seja, esse é apenas o terceiro ano em que ela está sendo celebrada”, afirmou a vereadora petebista.

A data foi instituída em 1992, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (Eco 92-RJ) com objetivo de estimular a reflexão sobre a situação dos recursos hídricos, mobilizando a sociedade civil e o poder público para a elaboração de medidas práticas de preservação deste patrimônio natural.

Este ano, diversas entidades brasileiras promoveram, durante a semana, eventos sobre o tema “Lidando com a escassez de água”.

Para Cristiane Brasil, os governantes e políticos em geral ainda não se deram conta de que a água é um bem finito.

“Se crescermos nos próximos anos no mesmo ritmo que crescemos atualmente, as projeções são de que, em 2025, já tenhamos sérios problemas em relação ao uso da água.

Temos que começar a pensar sobre isso hoje, do contrário quando acordamos para o assunto pode já ser tarde demais”, enfatizou a petebista.

Pensando nisso, a vereadora Cristiane Brasil apresentou um projeto de lei instituindo na cidade do Rio de Janeiro o dia 22 de março como o Dia Municipal da Água.

“É um passo inicial para que as autoridades municipais comecem a tratar esse assunto com a importância que ele merece”, esclareceu Cristiane.

E completou: “Acredito que, para as autoridades, cabe o papel criar mecanismos de proteção e preservação da água.

A água deve ser tratada como um bem do Estado.

Não se pode permitir que empresas poluam rios e lagoas e que nunca sejam severamente punidas.

Cabe também às autoridades a criação de campanhas que enfatizem à população o valor da água.

Afinal, quem vive sem água? Que país produz algo sem água? Já a comunidade como um todo deve se interessar pelo assunto, buscando ainda fazer cada um a sua parte ao usar a água”.

A escassez de água já é uma realidade em muitos lugares do planeta.

Hoje, cerca de 1,1 bilhão de pessoas não tem acesso a água potável.

Nos países em desenvolvimento esse problema aparece relacionado a 80% das mortes e enfermidades.

A perspectiva de escassez põe em discussão o controle público e privado de um bem considerado essencial para a vida e exige inovações tecnológicas para as grandes questões da gestão das águas e seu uso racional, expansão industrial e agrícola, crescimento populacional, degradação dos mananciais e alteração do ciclo hidrológico, provocado principalmente pela urbanização e desmatamento.

Apesar de ter cerca de 12% da água doce do mundo, o Brasil enfrenta problemas em relação à disponibilidade.

Conforme aponta o relatório GEO Brasil Recursos Hídricos, há uma enorme discrepância em relação à distribuição geográfica e populacional da água no país: a região amazônica abriga sozinha 74% da disponibilidade de água, mas é habitada por menos de 5% dos brasileiros.

Além disso, o Brasil convive com outro aspecto que colabora para o quadro de escassez em algumas localidades.

Fora a poluição dos rios e nascentes, merece destaque a deficiência nos sistemas de coleta de esgotos.

Hoje, 54% dos domicílios brasileiros contam com esse serviço.

Por isso, Cristiane Brasil faz um apelo aos companheiros: “Queridos petebistas: é absolutamente impraticável discutir um projeto de futuro para o partido que não enfrente a questão ambiental.

Vamos abarçar a defesa da água, a reciclagem de lixo, o reflorestamento, o aquecimento global e colocar o PTB ambiental nas nossas agendas e no coração.

Nosso futuro e o que queremos para os nossos descendentes depende do que fizermos AGORA.

E viva o PTB!”Agência Trabalhista de Notícias