Cristiane Brasil protesta contra reajuste e desrespeito aos aposentados

PTB Notícias 23/04/2007, 11:47


A vereadora carioca Cristiane Brasil, presidente do Diretório Estadual do PTB do Rio de Janeiro, comentou sobre o reajuste concedido pelo governo federal aos aposentados e pensionistas brasileiros.

Para Cristiane Brasil, que é presidente da Comissão Permanente do Idoso da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, além do reajuste de 3,3% ser considerado “ridículo”, o governo ainda desrespeitou os aposentados, ao deixar de receber oficialmente a proposta de reajuste formulada pela Associação Brasileira dos Aposentados.

Leia abaixo o comentário da vereadora petebista:Em Brasília, desrespeito a aposentadosO reajuste concedido pelo Governo Federal aos aposentados brasileiros, que recebem benefícios acima de 1 salário mínimo, é ridículo.

Apenas 3,3% de reajuste para aqueles que a cada ano sentem no bolso a redução do seu poder de compra.

Pois bem, tentando se posicionar sobre o assunto e buscando alertar a mídia para tal absurdo, a Associação Brasileira dos Aposentados foi ontem à Brasília exigir mais respeito com os brasileiros que já deram o sangue por esse país.

Pediram reajuste de 8,57%.

A proposta nem foi levada em consideração pelo ministro da previdência Luís Marinho.

E o pedido foi informal já que o ministro nem mesmo se dignou a receber de forma oficial a proposta.

E a maldade de Marinho foi além.

Segundo diversos aposentados presentes ao protesto, o motorista de Marinho jogou o carro em cima dos manifestantes, ferindo alguns.

A assessoria do ministério nega a versão.

Afirma que não houve tal incidente e usa como argumento o fato dos aposentados não terem registrado queixa na polícia sobre a suposta agressão.

Desculpa esfarrapada.

O correto, e mais republicano, seria receber os aposentados para uma conversa oficial, clara e aberta.

Se eu estivesse em Brasília certamente estaria na manifestação ao lado dos aposentados.

Agora uma pergunta.

Das duas versões em qual você depositaria suas fichas como sendo a verídica? Não responda.

Quebraríamos a banca.