Cristiane cobra esclarecimentos sobre Estado Islâmico no Brasil

PTB Notícias 31/03/2015, 19:42


Reportagem divulgada recentemente pelo jornal “O Estado de S.

Paulo”, em que revela o conteúdo de relatórios preparados pelos setores de inteligência, que detectaram tentativas de atração de jovens brasileiros pelo grupo terrorista Estado Islâmico, motivou a apresentação de requerimento de informações pela deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), protocolado na Mesa Diretora da Câmara.

A parlamentar solicita, em seu requerimento, informações ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, com objetivo de esclarecer as denúncias de que o grupo terrorista estaria recrutando jovens para atuar como “lobos solitários”, ou seja, pessoas que não integram listas internacionais de terroristas e que possuem mobilidade para realizar atentados isolados em diferentes países.

De acordo com a reportagem do “Estadão”, as investigações do relatório preparado pelos setores de inteligência, que teria circulado no Palácio do Planalto, apontam que o interesse do Estado Islâmico é o de estender a sua atuação para a América do Sul.

Segundo os documentos, teriam sido identificados, pelo menos, 10 brasileiros convertidos pelo movimento terrorista atuando nas redes sociais.

O jornal apurou ainda que o Palácio do Planalto recebeu relatórios de órgãos diferentes, e que o objetivo seria o de alertar a presidente Dilma Rousseff sobre os riscos da atuação do grupo no Brasil.

“Considero extremamente preocupante esta notícia.

Ainda mais quando o próprio jornal afirma que, ao consultar a Casa Civil da Presidência sobre o assunto, não recebeu confirmação sobre a divulgação interna do relatório sobre o Estado Islâmico.

E mais: disseram aos repórteres que assinaram a matéria que o tema da prevenção ao terrorismo foi tratado na semana passada, em reunião de um grupo de trabalho de segurança pública em grandes eventos, mas que o recrutamento de brasileiros pelo Estado Islâmico não fez parte das discussões do encontro.

É por este motivo, por esta desinformação e aparente negligência acerca de assunto de tal gravidade, que protocolamos requerimento de informações ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo”, explicou Cristiane Brasil.

Assim que for aprovado pela Mesa Diretora da Câmara, o Ministério da Justiça terá que responder aos seguintes questionamentos formulados pela deputada do PTB: 1) O Ministério da Justiça foi informado sobre o conteúdo do relatório que teria sido produzido por setores de inteligência do governo brasileiro, a respeito da presença do Estado Islâmico no Brasil, de acordo com o que informa reportagem do jornal “Estado de S.

Paulo”?; 2) O Ministério da Justiça possui informações que confirmam a atuação do grupo Estado Islâmico no Brasil?; 3) Alguma providência foi tomada por este Ministério, ou por seus órgãos subordinados, para averiguar quais seriam os representantes desse grupo terrorista que estariam recrutando jovens brasileiros?; 4) Este Ministério identificou os jovens supostamente recrutados pelo grupo Estado Islâmico, como afirma o relatório citado pela reportagem do “Estado de S.

Paulo”?; 5) Há alguma determinação ou diretriz do Ministério da Justiça para monitorar as redes sociais em busca de eventual atuação de recrutamento por parte dos terroristas do Estado Islâmico? Em seu requerimento, Cristiane Brasil afirma que se forem mesmo verdadeiras as informações do relatório dos serviços de inteligência do governo, não apenas as forças policiais brasileiras, mas também o Congresso Nacional precisa tomar as medidas necessárias para proteger a população do perigo que o terrorismo representa.

“A Câmara dos Deputados deve exigir o mais rapidamente possível as informações solicitadas no meu requerimento ao Ministério da Justiça, pois garantirão que se impeça que haja negligência, omissão e falta de transparência na forma como iremos lidar com a possibilidade de termos o Estado Islâmico atuando no Brasil, por meio do aliciamento de jovens através das redes sociais.

O terrorismo não pode ser encarado por este governo como uma ameaça distante ao nosso país.

O extremismo é uma chaga, uma doença que causa dor e sofrimento, e não queremos ver nossas famílias passando por este tipo de situação”, concluiu a deputada e presidente nacional do PTB.

Agência Trabalhista de NotíciasFoto: Divulgação