Cristiane defende resgate da credibilidade política e reforço das bases

PTB Notícias 21/09/2015, 12:52


A passagem da presidente nacional do Partido Trabalhista Brasileiro, deputada Cristiane Brasil (RJ), por Bagé (RS), registrada no sábado (19/9/2015), mobilizou os filiados e simpatizantes da sigla na região.

A agenda, destinada para a realização de um debate sobre os desafios da legenda para o futuro, na Câmara Municipal, acabou se tornando algo mais significativo, com direito até a carreata por algumas vias da cidade.

No Legislativo, antes de discursar aos presentes, Cristiane concedeu entrevista coletiva para a imprensa local.

Em um clima descontraído, como quando ela, que é carioca, solicitava um chimarrão, o ato se misturou a posicionamentos firmes sobre os objetivos do partido e a situação pela qual passa o Brasil.

Ao lado do deputado estadual Luís Augusto Lara e do presidente da Câmara de Bagé, vereador Divaldo Lara, ela foi direta ao apontar que o partido, que comemora 70 anos de fundação, passa por um processo de transformação, algo que, segundo a líder trabalhista, é fundamental.

“Dada à crise atual e ao desinteresse da população com as instituições partidárias, entendo que quem não se reinventar, passar a representar de fato os interesses da população, deixará de existir em cinco ou seis anos.

A minha vinda para Bagé tem exatamente esse objetivo, de resgatar a força do PTB, de Getúlio [Vargas], na raiz, que é no Rio Grande do Sul.

E nada mais simbólico que estar aqui na Semana Farroupilha”, frisou.

Caminhos para o futuroEm um discurso recheado de análises, a presidente do PTB argumentou que a “nova política” proposta pela sigla não será de “extrema direita ou esquerda radical”, mas com rumo voltado para o “equilíbrio”.

“Estamos nos propondo.

E para isso queremos levantar as vozes do partido, para implantarmos a marca do trabalhismo, em busca de um país mais justo, com menos impostos (.

.

.

) A população não pode pagar 50% do que consome em impostos, porque isso nunca volta para o trabalhador.

O empresariado, por sua vez, enfrenta uma carga tributária de 70%, isso é coisa de país comunista”, destacou ao completar: “Viemos conclamar os filiados do PTB para se alinhar ao movimento que defende a democracia e combate qualquer projeto de poder”.

Tais ideais, de acordo com Cristiane Brasil, para terem êxito, precisam começar com o reforço das bases.

“O PTB vai investir em seus candidatos o que puder ser viabilizado.

Vamos ajudar campanhas estratégicas”, garantiu ao salientar que a legenda para por um planejamento interno que engloba ações que vão desde a renovação do Estatuto do partido, bem como símbolos.

“Isso tudo será apresentado nacionalmente.

Iremos validar nossas ações com o povo brasileiro.

Devemos anunciar isso em fevereiro, em um grande evento”, adiantou.

E destacou: “Nossa meta é ter tolerância zero, seja com pequenas infrações, médias infrações ou grandes.

Não dá para fazer política com ações nocivas, pregadas por partidos como o PT.

Nós queremos a confiança da sociedade”.

Para Cristiane, alcançados esses passos, o PTB poderá encarar até mesmo uma disputa presidencial.

“Primeiro temos que ter a vitória em cidades estratégicas, para depois termos chances de vencermos nos estados.

E após sim teremos chances em nível nacional”, reconheceu.

Reforma eleitoralQuestionada sobre a posição nacional do partido quanto às propostas de reforma política, Cristiane Brasil afirmou que “houve uma tentativa de mudança maior do que aconteceu” até então.

Apontou que o pleito de 2016 servirá como uma espécie de “cobaia” para os anos seguintes e deixou claro que o PTB não está contra o financiamento privado.

“Por mais que tenhamos que repensar o financiamento privado, e o que ocorreu em termos de corrupção, a grande verdade é que não dá, no momento atual, para pegar dinheiro público nessa crise.

Por isso, defendemos o financiamento misto”, argumentou.

A líder trabalhista, aliás, fez uma análise bem pessoal quanto aos problemas identificados no uso de dinheiro de empresas particulares em campanhas eleitorais.

“O financiamento que ocorreu, com a corrupção, foi com dinheiro público, não privado”, avaliou.

Além disso, Cristiane Brasil lembrou que tramita, na Câmara dos Deputados, uma iniciativa de sua autoria que pretende extinguir a possibilidade de que ex-presidentes, ex-governadores e ex-prefeitos voltem a concorrer em um pleito eleitoral.

“A PEC (Proposta de Emenda à Constituição) (http://www2.

camara.

leg.

br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=1713464″ target=”_blank) 125/15 impede a reeleição descontinuada, ou seja, projetos de poder que tentam personalizar os governos.

Penso que com essa ação garantiremos o surgimento de novas lideranças e evitaremos a permanência de feudos”, comentou.

A matéria, segundo ela, aguarda a relatoria na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para, somente depois, ser encaminhada para votação e plenário.

PresençasParticiparam do evento, além da presidente Cristiane Brasil, do deputado estadual Luís Augusto Lara e do presidente da Câmara Municipal, Divaldo Lara, os vereadores trabalhistas Ramão Elias, Geraldo Saliba, Carlos Adriano e Antônio Carlos, todos de Bagé, a vice-presidente nacional do PTB Mulher, Marli Iglesias, a presidente nacional da Juventude do PTB, Graciela Nienov, membros do PTB Mulher e da JPTB, entre outras lideranças de Bagé e região e do Rio Grande do Sul.

(/_tinyimg/EventoPTB-Bage-Divulgacao.

jpg) Agência Trabalhista de Notícias (ELM e FM), com informações do jornal Folha do SulFotos: Divulgação