Daniel Riquelme cobra acessibilidade no Banco do Brasil de Amambai (MS)

PTB Notícias 11/09/2014, 7:22


O vereador de Amambai (MS) Daniel Riquelme (PTB) faz parte de um grupo de pessoas de aproximadamente 1,1 milhão que tem mobilidade reduzida.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem no país cerca de 24,5 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, apesar de o Brasil ser o país com a melhor legislação para deficientes da América, é a menos cumprida.

O vereador, que é cadeirante, assim como muitos outros, enfrenta algumas dificuldades de acessibilidade.

Como amambaiense, observa e procura realizar ações que venham a beneficiar esse grupo de pessoas.

Na sessão plenária da Câmara de Amambai de segunda-feira (8/9/2014), Riquelme apresentou indicação endereçada ao gerente da agência do Banco do Brasil do município, André Luis Risseto, para que veja a possibilidade da instalação de um elevador de acesso ao 2º piso dessa agência.

O petebista enviou ainda cópia ao superintendente regional abordando a questão.

Atualmente, Amambai conta com cinco instituições bancárias, com exceção do Banco do Brasil, onde o acesso aos caixas e alguns outros serviços são prestados no segundo piso, e o acesso é por escadas.

As demais agências têm melhor acessibilidade, já que todos os serviços prestados são no térreo, ou primeiro pavimento.

Na justificativa, o vereador disse que constantemente observa a dificuldade do cadeirante ao chegar a agência do Banco do Brasil, e não ter acesso ao caixa para efetuar suas operações, aguardando ajuda de funcionários ou terceiros para realizar o seu atendimento.

São ações simples, como trocar um cheque, fazer um saque acima do valor permitido no caixa eletrônico, dentre outros.

Além das leis federais que regulam a questão, a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) tem instrução normatizando a acessibilidade.

O art.

9º da Consolidação das Resoluções 2.

878, 2892 e da Circular 3.

058 prevê no item II a facilidade de acesso para pessoas portadoras de deficiência física ou com mobilidade reduzida, temporária ou definitiva, observado o sistema de segurança previsto na legislação e regulamentação em vigor.

O item seguinte diz: acessibilidade aos guichês de caixa e aos terminais de autoatendimento, bem como facilidade de circulação para as pessoas referidas no inciso anterior.

Como pode se observar existe alguma dificuldade para os cadeirantes, pessoas idosas e outras deficiências de acesso ao segundo piso do Banco do Brasil, o vereador destaca a importância da referida instituição para o município, mas a agência local deve ter mais de 30 anos e novas leis sobre acessibilidade surgiram nesse período, importante uma atenção maior e ao cumprimento da legislação beneficiando aqueles com mobilidade reduzida.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do PTB-MS Foto: Divulgação/Assessoria