Deputada Vera Castelo Branco quer levar água para todos no Amazonas

PTB Notícias 26/09/2011, 10:28


Um acordo de cooperação técnica é o primeiro passo para levar água potável para toda a população do Amazonas.

A decisão foi tomada na última quinta-feira (22/09/2011), em Brasília, em uma reunião entre deputada estadual Vera Castelo Branco (PTB-AM), o diretor da Agência Nacional das Águas (ANA), Dalvino Troccoli Franca, com o secretário de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional, Sérgio Duarte de Castro, técnicos da ANA e da Companhia de Desenvolvimentos dos Vales do Rio São Francisco e Paranaíba (Codefasf).

De acordo com a deputada estadual, neste primeiro momento será feito um estudo de viabilidade técnica para avaliação de qual é a melhor solução para o problema.

Para a parlamentar é inaceitável que em um Estado com tanta água, a população “padeça de sede, ou faça o consumo de água imprópria”.

“Tenho estudado o problema em busca de uma solução.

O povo das águas não tem água adequada para o consumo.

Isto é um absurdo! É muito grave a situação de alguns municípios, em especial às margens do Rio Solimões”, afirma.

A deputada levou para o secretário de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional, o pedido de água para 17 cidades do Amazonas, mas Sérgio Duarte foi ainda mais longe na abordagem da questão: “É possível, dentro dos programas federais, levar água para todos os 62 municípios do Estado, desde que preencham os requisitos necessários, como por exemplo, àqueles que atendam o Cadastro Único (CAD) do Governo Federal.

Para as populações dispersas, vamos aguardar o estudo de viabilidade técnica somado ao geo-referenciamento da população a ser atendida”, disse.

Para o diretor da ANA, Dalvino Troccoli Franca, o estudo será realizado rapidamente, pois não demanda novos recursos para ser realizado.

“Temos boa equipe técnica e condições de finalizar este estudo de viabilidade técnica para que o projeto possa começar no ano que vem.

Neste primeiro momento, acreditamos que para as populações dispersas a melhor solução é a captação da água da chuva por meio de calhas e reservatório padrão.

Para as cidade ou regiões com maior conglomerado, trabalhamos com a hipótese de purificação da água dos rios”, comentou.

Agência Trabalhista de Notícias (PB), com informações da Assembleia Legislativa de Manaus