Deputado Arlen Santiago parabeniza ação do Ministério da Saúde

PTB Notícias 1/05/2012, 8:06


O Ministério da Saúde anunciou que destinará R$ 505 milhões à rede de unidades para tratamento de câncer no Sistema Único de Saúde – SUS.

Segundo o Ministro Alexandre Padilha, nos próximos cinco anos, 80 aceleradores lineares – equipamentos de alta tecnologia usados em radioterapia, devem ser adquiridos.

O ministro destacou a importância do investimento em tecnologia na área oncológica.

“A assistência aos pacientes com câncer é uma das prioridades do governo federal.

Neste âmbito, são medidas essenciais a criação, a ampliação e a qualificação de hospitais habilitados em oncologia, em consonância com os vazios assistenciais, as demandas regionais de assistência oncológica e as necessidades tecnológicas do SUS”, declarou.

O médico e deputado estadual Arlen Santiago (PTB-MG), especialista em radioterapia e que atua há 30 anos como oncologista em Montes Claros (MG), sem nunca ter cobrado por uma consulta, parabeniza essa iniciativa do Ministério da Saúde e afirma que este é um avanço importantíssimo para a área, já que a radioterapia é um serviço essencial para garantir melhor qualidade de vida dos doentes crônicos e a cura para muitos casos.

Por iniciativa do parlamentar, foi fundada, no ano de 2010, a Sociedade Mineira de Radioterapia (SMRT).

Entre as suas finalidades estão as de estudar e debater todos os problemas relacionados à prática, ensino e pesquisa da Radioterapia e assuntos correlatos; representar a Radioterapia mineira junto às entidades médicas nacionais e internacionais; organizar Congresso Estadual da especialidade a cada ano ou de acordo com a disponibilidade da sociedade, preferencialmente com a participação das áreas afins; promover, junto aos órgãos competentes, públicos ou privados, a captação de recursos financeiros a serem utilizados no desenvolvimento da especialidade; emitir pareceres sobre questões pertinentes à especialidade; entre outras.

Para Arlen Santiago: “o câncer é um problema de saúde pública e a procura por uma radioterapia de melhor qualidade é preocupação constante e comum a todos os serviços e profissionais.

Dados da Organização Mundial da Saúde estimam que 60% dos pacientes com câncer necessitarão de radioterapia.

No entanto, sofremos uma enorme defasagem entre a necessidade de tecnologia, a realidade dos custos e a deficiente remuneração pelos tratamentos.

Esperamos, com a criação da Sociedade Mineira de Radioterapia, um futuro de muito trabalho, pois buscaremos atualizações constantes na certeza de uma radioterapia de qualidade que alie tecnologia, conhecimento e humanização, e que consiga envolver os diferentes setores relacionados à pratica da especialidade: instituições, profissionais, autoridades de saúde e fontes pagadoras, cada qual com a sua função, mas sempre em prol do paciente”, concluiu Arlen Santiago.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal do Deputado Arlen Santiago