Deputado Augusto César critica rejeição de SindHosp a genéricos

PTB Notícias 22/02/2008, 10:26


O deputado estadual Augusto César Filho (PTB/PE) criticou, nesta quinta-feira (21/02), o Sindicato dos Hospitais de Pernambuco (SindHosp) por rejeitar o uso de medicamento genérico.

“Como farmacêutico, não posso ser conivente com essa decisão, uma vez que o uso de genéricos se constitui em uma prática segura e eficaz, sendo, inclusive, recomendado pelo Ministério da Saúde”, comentou.

O parlamentar citou nota publicada pelo sindicato no Jornal do Commercio no último dia 20, intitulada “O Sindhospe rejeita a recomendação do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Estado (Sassepe) por considerá-la inadequada, antiética e prejudicial aos usuários”.

De acordo com o parlamentar, o Brasil é o 6º maior mercado farmacêutico do mundo, consumindo o equivalente a R$ 22 bilhões por ano.

“Devido à grande disparidade social no País, a aquisição de medicamentos torna-se bastante onerosa para a maioria da população, sendo, portanto, de extrema necessidade e eficiência dos genéricos que possuem um custo bem menor, se comparado aos medicamentos de referência”, avaliou.

César Filho registrou, ainda, que os genéricos são os únicos que podem ser intercambiáveis com os medicamentos de referência.

“O mercado mundial de genéricos cresce aproximadamente 11% ao ano.

Nos Estados Unidos, a participação do receituário de genéricos alcançou cerca de 42% das prescrições”, argumentou.

Em apartes, os deputados Raimundo Pimentel (PSDB) e Nadegi Queiroz (PMN) defenderam o Sassepe e sugeriram um debate na Casa com a participação do Sindhosp.

“O genérico é uma conquista da população”, defendeu Pimentel.

“O medicamento tem baixo custo, sendo, assim, acessível aos mais carentes”, avaliou Nadegi.

Agência Trabalhista de Notícias (com informações do DOE/PE)