Deputado Braulio Braz assiste palestra do governador Anastasia na Fiemg

PTB Notícias 18/05/2013, 6:23


O deputado Braulio Braz esteve nesta sexta-feira (17/05), na sede da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), para assistir a palestra do governador Antonio Anastasia sobre o “Panorama da Economia Mineira”.

Foi a primeira vez que os ganhos sociais e econômicos do Estado, registrados a partir de 2003, com o Choque de Gestão, foram sistematizados e apresentados ao público.

O evento faz parte da programação anual dos 80 anos da Fiemg, comemorados em 2013.

No encontro, que reuniu lideranças de entidades empresariais, além de diretores dos principais órgãos de imprensa que atuam no Estado, Antonio Anastasia demonstrou o esforço do Governo de Minas nos últimos dez anos para equilibrar as finanças públicas e retomar a agenda de desenvolvimento.

A partir do equilíbrio das contas pressuposto do Choque de Gestão, implantado a partir de 2003, Minas Gerais se tornou modelo de administração pública recomendado pelo Banco Mundial e reconquistou a credibilidade junto a instituições financeiras no Brasil e no exterior.

A segunda geração do Choque de Gestão, o programa Estado para Resultados, adotado a partir de 2007, teve como foco os resultados das políticas públicas.

Desde 2011, o Governo de Minas coloca em prática a “Gestão para a Cidadania”, terceira fase do Choque de Gestão, no qual são priorizados a transparência das ações e o novo modelo de governança pública com a participação cidadão, o Estado formado em Redes.

Maior participação da indústriaA política de atração de investimentos, com geração de empregos de qualidade, é um dos principais objetivos do Governo de Minas.

Para alcançar esse objetivo, o Estado criou mecanismos de indução ao desenvolvimento, gerando um ambiente propicio para os negócios e atraindo empreendimentos em vários segmentos.

Com isso, a participação do setor industrial no Produto Interno Bruto (PIB) mineiro cresceu 18%, enquanto na média nacional essa participação caiu 22%.

No PIB do agronegócio, a participação mineira, que era de 9%, em 2002, passou para 13,6%, no ano passado.

O PIB per capita de Minas Gerais também apresentou evolução no período correspondente ao Choque de Gestão.

Em 2002, a média por habitante era de R$ 6.

904, e, em 2012, pulou para R$ 17.

932.

Com isso, Minas ganhou três posições no ranking nacional, passando de 12º para 9º lugar entre os estados brasileiros.

Outra prioridade do Governo de Minas na área econômica é intensificar o processo de diversificação da economia mineira.

Nos últimos dez anos, foi registrado aumento de 34% da participação de Minas nas exportações de produtos intensivos em tecnologia.

Minas Gerais também é destaque no mercado de trabalho.

A região metropolitana de Belo Horizonte tem a menor taxa de desemprego da região Sudeste, além de registrar o segundo menor índice de desemprego entre os 27 estados brasileiros.

Menos desigualdade socialCom população estimada em 20 milhões de habitantes, distribuídas em 853 municípios, Minas Gerais é um estado heterogêneo.

Mesmo assim, apresenta na área social resultados expressivos em relação a estados mais ricos ou menos populosos.

A redução em 11,3% da desigualdade social em Minas, entre 2002 e 2011, foi maior do que a média nacional e da região Sudeste.

Esse índice caiu de 0,559 para 0,496, no período.

O estado lidera o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) dos anos iniciais do ensino infantil.

A avaliação da rede estadual de ensino foi de 6.

0 para os anos iniciais do ensino fundamental.

Segundo o Ministério da Educação, esse índice é equivalente à média da educação em países desenvolvidos.

Outro número que demonstra a dimensão do grande alcance social do Choque de Gestão é o percentual de investimentos em saúde, segurança pública e educação, que, entre 2003 e 2012, cresceu 294%, 259% e 186%, respectivamente.

Na área de infraestrutura, os avanços também são vigorosos.

Em dez anos, a cobertura de rodovias com asfalto no estado representou 50% de toda pavimentação feita em 50 anos.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da assessoria do deputado Bráulio Braz (PTB-MG)