Deputado Busato propõe R$ 54 milhões para rebaixar Trensurb

PTB Notícias 24/02/2008, 12:33


.

O projeto de rebaixamento da linha férrea do Trensurb no centro de Canoas ganhou mais uma injeção de ânimo com a inclusão da emenda individual do deputado federal canoense Luiz Carlos Busato (PTB) no relatório do Orçamento Geral da União.

O relator José Pimentel (PT/CE) incluiu no OGU o valor de R$ 13.

893.

888,00 para o rebaixamento do Trensurb na cidade.

Conforme Busato, também foram aprovados R$ 13,5 milhões anuais no Plano Plurianual até 2011, totalizando R$ 54,3 milhões em quatro anos.

“Foi uma vitória, pois tínhamos receio que com a queda da CPMF poderia haver cortes, como o caso das obras novas que tiveram redução de 20%, salientou o parlamentar.

O deputado também destacou a atuação do Senador Sérgio Zambiasi (PTB-RS).

“O emprenho e trabalho do Senador foi fundamental para esta conquista”, declarou.

Busato lembra que da verba de R$ 26 milhões da Bancada Gaúcha, R$ 5 milhões foram aprovados para o trecho específico do trensurb em Canoas.

O parlamentar observa que o relatório deve ser votado na próxima semana e que os municípios de Esteio e Sapucaia do Sul devem ser incluídos nos estudos de rebaixamento da linha do trem.

“Após a aprovação do Orçamento, a verba deve ser liberada em 60 dias”, destaca.

DEMANDA ANTIGA – O superintendente de Desenvolvimento e Expansão da Trensurb, Humberto Kasper, destaca o esforço dos deputados canoenses Luiz Carlos Busato (PTB) e Marco Maia (PT) para que esta demanda antiga da linha enterrada em Canoas pudesse se concretizar.

“O primeiro passo agora será a realização de estudos de viabilidade técnica, que apontarão se o trecho enterrado será mantido no mesmo eixo ou se vai ser desviado e também das obras de contorno, para que o trem não pare enquanto a obra for realizada”, salienta Kasper.

Os estudos de viabilidade técnica devem ter duração mínima de seis meses, sendo trabalhados em conjunto com as secretarias municipais de Planejamento Urbano e de Obras Públicas.

Segundo Kasper esta será uma obra complexa e muito cara.

“Para se construir um trecho de superfície, o custo é de 10 milhões de dólares o quilômetro”.

Para uma obra da linha férrea enterrada, o custo multiplica no mínimo por três, revela.

O representante da Trensurb acrescenta que, após a finalização dos estudos de viabilidade, será realizada a licitação para a contratação do projeto e depois a execução, sendo que, se tudo correr bem, a obra não deve ser iniciada antes do segundo semestre de 2009.

fonte: site do PTB – RS