Deputado do PTB nega desistência de candidatura no Amapá

PTB Notícias 14/06/2006, 15:24


O deputado estadual Lucas Barreto (PTB-AP) negou ontem que tenha desistido de disputar o cargo de governador do Amapá nas eleições de outubro.

A notícia da desistência de Lucas começou a circular no domingo, quando o deputado estava no interior.

Na segunda-feira ele recebeu a reportagem do JD para dizer que tudo não passou de boato e de pura especulação, e que continua mantendo encontros políticos em Macapá e nos demais municípios.

Sempre anunciado no noticiário da imprensa como o preferido para ser vice na chapa de João Capiberibe (PSB) ou de Papaléo Paes (PSDB), Lucas Barreto assegurou que sua candidatura permanece firme e que ele e a direção do PTB jamais conversaram sobre desistência.

” Todo final de semana estão escolhendo um para virar notícia, e eu fui a bola da vez neste domingo” , comentou.

Confirmando o que já havia sido revelado pelo deputado federal Eduardo Seabra (PTB-AP), presidente do Partido Trabalhista Brasileiro no Amapá, Lucas confirmou a existência de uma aliança política entre PTB, PFL e PSDB, resultado de entendimento entre ele, os deputados Davi Alcolumbre (PFL) e Eduardo Seabra e o senador Papaléo Paes, candidato ao governo pelo PSDB.

É uma aliança que pode ou não se confirmar.

Tudo será definido entre 30 de junho e 5 de julho, prazo para o fim das convenções e para os registros de candidaturas e formalização de coligações e alianças.

Hoje a aliança reúne PTB, PFL e PSDB, mas de repente ela pode virar PTB e PSB, pois a política é dinâmica e tudo vai depender dos entendimentos até o final do mês.

Até lá tudo o que se falar não passará de especulação, pois nada se sabe do que não se conhece” , filosofa Lucas Barreto, acrescentando que a discussão será sempre em torno do que for melhor para o Estado e para o PTB.

O deputado foi taxativo ao afirmar que só não faz acordo com o PDT.

Lucas Barreto opinou sobre a reconsideração do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pelo entendimento de que os partidos com candidato à Presidência da República que estejam coligados nacionalmente, têm liberdade de se coligar nas bases com outros partidos sem candidato à sucessão presidencial.

Lucas disse ser a favor da decisão anterior, do dia 6 de junho, que determinava que nenhum partido poderia fazer, no plano estadual, coligação diferente da que fora feita no plano nacional, regra que seria válida mesmo que o partido em questão não tivesse lançado candidato à Presidência da República.

” Eles já haviam decidido as regras por 6 a 1, e resolveram alterar tudo um dia depois.

Isso tem cheiro de pressão e não organiza nada ” , finalizou.

O Partido Trabalhista Brasileiro marcou sua convenção para o dia 30 de junho, quando confirmará ou não o nome de Lucas Barreto como candidato ao governo e escolherá os candidatos a deputado federal e a deputado estadual.

Rosemiro Rocha, ex-prefeito de Santana, é um dos candidatos a deputado estadual.

Eduardo Seabra vai disputar reeleição à Câmara Federal.

O PTB não terá candidato ao Senado.

JD ONLINE – AMAPÁ