Deputado federal Paes Landim (PI) defende o ministro Antonio Palocci

PTB Notícias 24/05/2011, 16:26


O deputado federal Paes Landim, do PTB do Piauí, em discurso no Plenário da Câmara nesta segunda-feira (23/05/2011), defendeu o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci.

Para o petebista, Palocci está sendo alvo de uma campanha crescente para desacreditá-lo.

Landim creditou que paira sobre o ministro uma onda de suspeitas, típica dos regimes autoritários em que se sufoca os opositores sem lhes dar chance de defesa.

“Antonio Palocci, quando deputado federal, prestou consultoria e recebeu por isso.

É totalmente irrelevante que o seu patrimônio tenha aumentado 20 vezes.

O que importa é que isso ocorreu de forma lícita, legítima”, assegurou.

“No Brasil, os parlamentares podem exercer suas profissões e serem pagos por isso.

Não há nenhuma lei, nenhuma norma que os proíba”, afirmou.

Landim acrescentou que Palocci também cumpriu a quarentena prevista na MP 2.

225, no Código de Conduta da Alta Administração Federal e em todas as outras normas que preveem um período de afastamento de atividades que podem gerar conflito de interesses depois do término do exercício do cargo de ministro da Fazenda.

“Tudo está baseado na suspeita de que os ganhos do ministro foram extraordinários e, por isso, devem ter origem ilícita.

Essas suspeitas são tão infundadas que o Procurador-Geral da República declarou não ser cabível a instauração de nenhum procedimento investigatório.

O Ministério Público tem um histórico inatacável de isenção e independência.

Não pode ser acusado de leniência com nenhuma autoridade.

Com certeza, se pautará pela conduta técnica e de respeito aos direitos e garantias fundamentais.

“O petebista piauiense acentuou ainda que, além de Palocci ter tido um desempenho irretocável na época do Ministério da Fazenda (no primeiro mandato do governo Lula), agindo com equilíbrio e firmeza e nunca ter cedido a pressões ilegítimas, ele não pode ser condenado previamente e sufocado por acusações que, de tanto ser repetidas, passam a ser incorporadas como verdades no consciente coletivo.

Para Landim, é lamentável o clima de ansiedade, de tentativa de dar ares de negociatas a negócios legítimos.

“Tenho plena confiança no ministro Palocci e não duvido de sua honestidade.

Mas se tiver que ser investigado, que isso fique a cargo das instituições da República e em um clima de normalidade, próprio das democracias liberais”, disse.

“A vida de ninguém pode ser exposta em nome de suspeitas sem fundamento.

A imprensa tem um papel essencial, imprescindível e insubstituível na preservação da democracia e na garantia da correta atuação das instituições públicas que ficaram evidentemente de levantar indícios.

Mas quanto a isso não houve em nenhum momento comprovação do noticiado.

“Agência Trabalhista de Notícias (Felipe Menezes)