Deputado Marcelo Santos quer centro de apoio para vítimas da pedofilia

PTB Notícias 28/04/2009, 12:01


O presidente da Frente parlamentar de Combate à Pedofilia da Assembléia Legislativa do Espírito Santo, deputado Marcelo Santos (PTB/ES), reuniu-se nesta segunda-feira (27/04) com o delegado da Delegacia de Proteção da Criança e Adolescente, Marcelo Nolasco.

O encontro aconteceu na Delegacia de Proteção da Criança e do Adolescente e serviu para avaliar a dimensão do problema da pedofilia no Estado.

A reunião contou também com o superintendente Policia Metropolitana, José Luiz Pazeto e o superintendente da Policia Prisional, Gilson Lopes.

De acordo com o deputado, a delegacia não conta com a estrutura adequada atender os casos de violência contra crianças e adolescentes.

O ambiente pequeno, com instalações precárias, não conta com acompanhamento psicológico e clínico.

Os poucos profissionais da delegacia estão sobrecarregados.

A delegacia é a única da Grande Vitória a atender esses casos e não funciona 24 horas.

Agora, a comissão pretende convidar o promotor Adauto Martinelli e o juiz-corregedor Marcelo Loureiro, além do Chefe de Polícia Civil, o Delegado Júlio Cesar Oliveira Silva para uma mesa redonda.

A partir daí, será possível iniciar a formatação de uma sugestão que será enviada ao Governo do Estado.

A idéia inicial do deputado é a criação de um Centro de Apoio às Vítimas de Pedofilia e Familiares, que deverá contar com atendimento psicológico e clínico para os casos de lesões, gravidez precoce e doenças sexualmente transmissíveis – DST´s, além de espaços físicos adequados para proteger a integridade física e psicológica das vítimas.

A Frente Parlamentar de Combate à Pedofilia foi criada com o objetivo de debater, discutir, propor projetos e incentivar as ações de combate à pedofilia no Estado do Espírito Santo, garantindo a participação popular e das instituições públicas ou privadas pertinentes ao tema, agregando a contribuição das polícias militar e civil do Espírito Santo, mantendo o constante debate e o estado de alerta da sociedade para o aperfeiçoamento das ações de cidadania que tenham como objetivo, coibir, prevenir, educar, punir e investigar, em defesa das famílias e das crianças e adolescentes do Estado do Espírito Santo.

Agência Trabalhista de Notícias