Deputado Valter Araújo é contra atuação da PM na Usina de Jirau (RO)

PTB Notícias 18/03/2011, 7:56


O presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, Valter Araújo (PTB), declarou na manhã desta quinta-feira, 17/03, ser “100 por cento contra o envio de policiais militares para fazer a segurança ou conter conflitos em canteiros de obras das usinas”.

A declaração foi dada após o deputado ter sido informado dos tumultos que foram retomados ontem de manhã, na Usina de Jirau.

De acordo com o parlamentar, as usinas são empreendimentos privados e como tal deveriam contratar empresas particulares ou acionar a Força Nacional ou o Exército.

Valter destacou que é inadmissível o Estado ter que arcar com esse problema, “se os consórcios cumprissem com o papel deles, tratasse de forma mais humana seus funcionários, situações como essa não aconteceriam”.

Valter Araújo declarou ainda que os índices de criminalidade em Rondônia aumentassem sensivelmente com a construção das usinas e não é justo com a população ter que deslocar um contingente de 500 policiais militares para conter uma revolta em um canteiro de obras de empresas que possuem recursos para contratar qualquer força particular do País, “eles querem que o governo desloque policiais do interior para atuar na segurança da usina e isso nós não concordamos.

O governador Confúcio Moura já alertou o Ministro das Minas e Energia Edson Lobão, alertou o governo federal sobre essa situação de instabilidade nos canteiros de obras e ninguém tomou nenhuma posição e nós não vamos sacrificar nossa população”.

O deputado informou que nesta quinta-feira o comitê de gestão de crise da Assembleia se reuniu e deve seguir para Jirau, na tentativa de amenizar a revolta.

Valter acrescentou que além de exigirem segurança, os consórcios não estão cumprindo com os acordos de compensação, feitos antes do início das obras, “eles cumpriram com cerca de 30 por cento do que foi acordado, até mesmo a contratação de mão de obra, que deveria ser toda ela local, não cumpriram.

Cerca de 70 por cento dos trabalhadores são de outros estados.

Pior é que eles querem que a policia expulse os revoltosos de lá, mas para onde esse povo vai? Certamente virão para a cidade, onde estarão desempregados e desesperados.

Não podemos mais permitir essa situação”, finalizou o presidente da Assembleia Legislativa.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal Rondonia Dinâmica