Deputado Valter Araújo é contra privatização da saúde em Rondônia

PTB Notícias 6/10/2011, 7:04


O presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, deputado Valter Araújo (PTB), disse ontem, 05/10, que a Casa de Leis não é contra entregar unidades de saúde estaduais para serem administradas por organizações sociais, as OS ou Oscip.

Segundo ele é preciso apenas definir detalhadamente como isso acontecerá e se a medida o benefício para a população.

O parlamentar lembrou que será realizada audiência pública no plenário da Ale para tratar do assunto.

Valter Araújo foi entrevistado ontem pelo jornalista Maurício Calixto no programa A Hora do Povo, que vai ao ar ao meio-dia, na rádio Rondônia em Porto Velho.

O parlamentar explicou que a saúde é um dos grandes problemas vivenciados em Rondônia, por isso ações como entregar a administração de hospitais a entidades particulares devem ser bem avaliadas.

O deputado disse, ainda, que os representantes das organizações sociais já começaram a se instalar em Rondônia.

“Donos de OS e Oscip foram vistos almoçando com o secretário de Saúde e com o cunhado do governador, discutindo esse tema.

Acontece que precisamos pensar no servidor, por exemplo”, destacou.

Valter Araújo citou que há informações de que os donos das organizações sociais querem as unidades de saúde, mas não os servidores, e que inclusive estão falando mal do funcionalismo.

Para o parlamentar, isso é algo inadmissível, porque o servidor não pode simplesmente ser descartado.

Ele disse, também, que dados do governo demonstram que organizações sociais conseguem atender um número maior de pacientes gastando bem menos.

“Se isso acontece é por problemas de gestão.

No caso, o Executivo precisa gerenciar melhor o sistema de saúde”, acrescentou.

Um ouvinte perguntou se a empresa que assumir o hospital também assumirá a questão do lixo e a alimentação.

Valter Araújo explicou que esse é outro ponto que precisa ser discutido.

“Vamos tratar disso na audiência pública que será realizada na Assembleia Legislativa.

Desde que funcione, pode ser implantado.

O que não podemos é deixar a saúde na UTI, conforme mostrou o “Jornal Nacional”.

Podemos terceirizar alguns serviços, mas sou contra a privatização da saúde”, afirmou.

O deputado explicou, no entanto, que não está havendo briga entre a Assembleia Legislativa e o Executivo.

Segundo ele, o relacionamento entre os Poderes é bom.

“Quando os deputados concordam com tudo, dizem que somos capachos.

Se divergimos em alguns pontos, somos oposição.

É assim mesmo”, disse Valter Araújo.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Assembleia Legislativa de Rondônia