Deputado Wilson Filho critica descaso do governo com seca no Nordeste

PTB Notícias 19/04/2014, 6:25


Durante audiência pública da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia, o deputado Wilson Filho (PTB-PB) criticou o descaso do governo federal com o que ele chamou de “caos total” no Nordeste.

A região sofre com uma seca que se prolonga pelo terceiro ano consecutivo, o que gera problemas sociais e dificulta o desenvolvimento da agricultura e a criação de animais.

Além disso, provoca a falta de recursos econômicos, gerando fome e miséria no sertão.

“É muito visível, por exemplo, quando São Paulo entrou em uma realidade bem próxima.

De forma rapidíssima o governo federal e os órgãos competentes deram essa resposta”, afirmou.

Contenção de gastos A operação carro-pipa distribui água potável para a população das regiões afetadas pela estiagem.

Ela é uma parceria do Ministério da Integração Nacional, por meio da Secretaria Nacional de Defesa Civil, com o Exército Brasileiro.

A ação foi interrompida por parte do ministério no começo deste ano para a contenção de gastos.

Alziro Gomes, representante da Secretaria Nacional de Defesa Civil, reconhece a necessidade de reativar a operação e espera que isso ocorra ainda nesta semana.

“Estamos com uma expectativa extremamente positiva que, no decorrer dessa semana, tenhamos uma sinalização para reativar o repasse de recursos para os estados complementarem a operação carro-pipa.

A [operação] do Exército não sofreu retração, entretanto não está se mostrando suficiente para atender a totalidade da demanda”, disse.

Arnoldo Campos, representante da Secretaria de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social, disse que o ministério entrega, em média, mil cisternas por dia na região do semiárido e que, até dezembro deste ano, 750 mil estarão construídas para que as famílias possam ampliar a capacidade de estocar água e conviver melhor com a seca.

A cisterna é uma tecnologia popular para a captação de água da chuva.

Ela escorre do telhado da casa, é captada pelas calhas e cai direto na cisterna, onde é armazenada.

Com capacidade para 16 mil litros de água, a cisterna supre a necessidade de consumo de uma família de cinco pessoas por um período de estiagem de oito meses.

“Nossa expectativa é que 100% das famílias de baixa renda sejam atendidas com tecnologias de captação de água da chuva para o consumo.

As ações emergenciais são importantes, mas as ações estruturais são tão importantes ou mais importantes que as ações emergenciais”, afirmou Arnoldo Campos.

Cobrança O deputado Wilson Filho disse que a Comissão de Integração Nacional vai cobrar e monitorar as ações que foram apresentadas pelos representantes dos órgãos públicos presentes na audiência.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da assessoria do portal Aqui Acontece Foto: Divulgação