Deputados do PTB capixaba falam sobre repercussão da crise no Senado

PTB Notícias 11/07/2009, 11:32


Excesso de diretorias, horas extras pagas a servidores no recesso parlamentar, cotas de passagens aéreas, atos secretos para a nomeação de apadrinhados e parentes além do aumento de salários.

A crise do Senado se arrasta desde o começo do ano e novas notícias são reveladas a cada dia pela imprensa brasileira.

O site da Assembléia Legislativa do Espírito Santo ouviu as opiniões dos deputados do PTB Marcelo Santos e Luzia Toledo sobre o tema.

Ambos acreditam que a crise em Brasília pode respingar na imagem Legislativo em todo o país, mesmo a Assembléia Legislativa capixaba buscando a transparência por meio de medidas tomadas pela Mesa Diretora, nos últimos meses, como o corte nos gastos, divulgação das contas no site da Casa, convocação dos aprovados no concurso de 2006 e a instalação do ponto eletrônico para os servidores.

Outro ponto abordado pelos parlamentares é a falta de participação da sociedade na fiscalização das ações tomadas pelos políticos que elegeram.

Eles também lamentaram a crise ter atingido o Senado, uma das instituições mais importantes para o cenário político nacional.

Vejam as opiniões dos deputados petebistas:Marcelo Santos (PTB) – “Primeiro, quando as instituições públicas são afetadas naturalmente a classe política sente logo.

No caso do Senado da República, que se refere ao Congresso Nacional, a mais alta Corte do legislativo isso é uma cadeia que vem se refletindo em todos os políticos, principalmente os parlamentares.

As Casas Legislativas têm sofrido muitos ataques seja de corpos internos ou também da repercussão da mídia que se torna negativa e, naturalmente, nos coloca, entre aspas, na vala comum”.

“O que está precisando na verdade, principalmente aqui na Assembléia Legislativa do Espírito Santo é colocar para que nós viemos, qual é o papel do legislativo, qual é a função do parlamentar, o que nós exercemos juntos com os poderes constituídos no estado para que assim nós possamos mostrar que a Assembléia realiza um papel diferente das outras e exerce aquilo que a sociedade clama”.

Luzia Toledo (PTB) – “Eu quero lamentar profundamente.

O Senado é a Casa mais democrática do país, lá você encontra ex-presidentes da República, lá você encontra ex-ministros, encontra senadores reeleitos, você encontra ex-governadores e outras pessoas do Senado, mas que levam para a sociedade uma experiência de vida muito forte.

Eu estou extremamente indignada e infeliz em como a Casa se tornou.

Na verdade, hoje o Senado se tornou, e com raras exceções, motivo de chacota, de brincadeiras, de indignação.

Hoje ele é motivo de uma acentuada crítica, mas deveria ser exemplo de ética e de transparência”.