Dilemário Alencar critica aumento da tarifa de ônibus em Cuiabá (MT)

PTB Notícias 28/01/2015, 11:01


O vereador Dilemário Alencar (PTB) disparou críticas ao prefeito Mauro Mendes (PSB) devido ao aumento da tarifa de ônibus em Cuiabá (MT), que passou de R$ 2,80 para R$ 3,10.

Segundo o parlamentar, Mendes deveria andar nos ônibus e frequentar os terminais da cidade, tanto quanto os banheiros, para avaliar a real qualidade do transporte público.

Em entrevista à Rádio CBN, do Grupo Gazeta, na terça-feira (27/1/2015), Dilemário salientou que o aumento aprovado é abusivo ao bolso do trabalhador, devido a dois reajustes feitos em menos de um ano.

“O aumento é abusivo, porque foram dois aumentos em menos de um ano.

E chegou a 19,5%, se você somar os números do aumento.

Enquanto a inflação acumulada, de 2014, foi de 6,41%, e os trabalhadores tiveram no máximo 7,5% de reajuste salarial.

“Ele citou que a lei orgânica do município deve passar, primeiramente, pela avaliação dos vereadores da capital mato-grossense, antes que o reajuste seja aprovado.

Fato que não ocorreu.

“A lei orgânica 030 que diz textualmente que o aumento da tarifa de ônibus tem que passar pelo crivo dos vereadores.

Se os vereadores aprovam ou não.

Ocorre que o prefeito aumentou a tarifa de ônibus sem mandar para a Câmara, que a Câmara está em recesso.

“Após o aumento, Dilemário entrou com uma ação judicial contra a prefeitura devido a tarifa não ser avaliada pela Câmara Municipal.

O vereador ressaltou que é importante que se analise esta lei, para que os vereadores votem pela população.

“Com essa ação minha, pelo menos vamos tirar dúvida se essa lei, essa emenda da lei orgânica, está valendo ou não.

Eu acho que deveria passar pela Câmara, sim.

E aí, cada vereador se posicionasse.

Se for para Câmara, eu vou votar contra o aumento da tarifa de ônibus, porque o aumento é abusivo e não tem nenhuma melhoria para o transporte coletivo.

“Conforme a avaliação do vereador, um ônibus de Cuiabá percorre numa viagem de ida e volta cerca de 13,5 km no valor de R$ 3,10.

Enquanto outras capitais, como Goiânia (GO), andam cerca de 42,15 km por R$ 2,80.

“Eu não critico o prefeito.

O vereador foi eleito para fiscalizar as ações do executivo.

O prefeito, peço que ele tenha que andar na comunidade, tem que ser um prefeito que goste de andar nos bairros, goste da cidade, vá checar a situação.

O terminal do CPA 1 está totalmente destruído, o banheiro horrível.

O prefeito realmente deveria ir lá”, recomendou Dilemário.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Gazeta DigitalFoto: Divulgação/Secom Câmara de Cuiabá