Diretório do PTB irá interpelar judicialmente presidente do DEM no Piauí

PTB Notícias 20/09/2007, 8:08


O Diretório Estadual do PTB piauiense está entrando com uma interpelação judicial contra o presidente do partido Democratas no Piauí, Valdecy Cavalcante, para que ele diga na Justiça o nome dos prefeitos que estariam se filiando ao PTB em troca de dinheiro, como declarou à imprensa.

A ação está sendo ajuizada pela assessoria jurídica do PTB, que se sentiu prejudicado pelas declarações de Valdecy.

A APPM (Associação Piauiense dos Municípios) também estuda uma representação contra o presidente do DEM.

O PTB ainda está encaminhando ao Ministério Público Eleitoral um pedido de investigação sobre as declarações do advogado Valdecy Cavalcante.

“Caso ele não prove, vai ter que pagar pelas acusações.

O ônus da prova cabe a quem acusa”, comentou o deputado estadual petebista Paulo César Vilarinho, na Assembléia Legislativa piauiense.

O PTB já filiou mais de 65 prefeitos e a maioria é oriunda do DEM.

O senador João Vicente Claudino, presidente regional do PTB, tem promovido uma série de filiações com vistas às eleições de 2008.

Valdecy declarou que as lideranças do PTB estão cooptando as lideranças dos outros partidos, oferecendo inclusive dinheiro para se filiarem.

O deputado Juraci Leite (DEM) foi acusado por Valdeci de ser espião dentro do DEM.

O presidente da APPM (Associação Piauiense dos Municípios), Luis Coelho, prefeito de Paulistana, disse que a entidade ainda não se manifestou sobre o assunto.

“Mas não existe nem possibilidade de um prefeito se transferir ou mudar de partido para receber dinheiro.

Os partidos estão se organizando para eleição daqui a um ano e três meses.

Achei muito precipitada esta declaração do Valdecy Cavalcante”, comentou Luis Coelho.

Ele afirmou que o nível dos prefeitos mudou muito e os mesmos procuraram agregar melhores condições para a disputa.

Os prefeitos, segundo ele, têm mais responsabilidade.

“As prestações de contas estão religiosamente em dia no Tribunal de Contas.

As ações de políticas públicas tem andado a passos largos, mesmo tendo os municípios um menor aporte de recursos.

A questão não é de dinheiro, mas ainda falta muito tempo para a eleição.

Acho precipitado afirmar que prefeito se filou por dinheiro.

Existem os aliados, as perspectivas, dentre outras coisas”, argumentou.

Luis Coelho frisou que os prefeitos têm obras e ainda geram renda e empregos.

“Estamos fazendo o nosso dever de casa, mas estamos sendo injustiçados.

A assessoria jurídica da APPM começa a investigar o que e como foi dita esta declaração para analisar que providência vai adotar.

Temos que saber como vamos proceder”, finalizou o presidente da APPM.

fonte: Jornal Diário do Povo (PI)