Diretório do PTB Mulher do Rio Grande do Sul lança cartilha

PTB Notícias 15/03/2013, 18:06


As petebistas do Rio Grande do Sul foram responsáveis pela criação e expansão do PTB Mulher no Brasil.

A partir do pioneirismo delas, tendo à frente à época Marli Iglesias (idealizadora e fundadora do PTB Mulher do Rio Grande do Sul para o Brasil), e, juntamente aliadas à união vigorosa das demais companheiras de todo o país, o movimento feminino da legenda trabalhista ganhou, ao longo dos anos, musculatura, se fortaleceu e fincou sua representatividade e expressão no cenário político partidário, inclusive dentro do PTB, e empenhado na organização e luta nas conquistas das políticas públicas voltadas às mulheres, como também as políticas sociais de interesse público.

Novamente com esse espírito explorador, e no intuito de oferecer informação, o PTB Mulher gaúcho, hoje liderado por Márcia Tedesco, lança uma cartilha, “como o primeiro Estado a proporcionar este material às suas companheiras”, diz o documento.

“Incentivar, promover e inserir a participação da mulher na política em todas as instâncias é missão de todas nós.

Juntos somos fortes!”, ressalta Tedesco.

Num total de 28 páginas, a cartilha do PTB Mulher gaúcho expõe agradecimento às lideranças do partido; a mensagem de Márcia Tedesco e da presidente nacional do PTB Mulher, vereadora Cristiane Brasil (RJ); da história do movimento; das bandeiras defendidas pela mulher petebista; das conquistas da mulher na política; da cota feminina; da Lei Maria da Penha; de como formar o PTB Mulher no município; da autorização; do modelo de ata, e de ofício; de “informe-se sobre”; do participe; das Constituintes da Comissão Provisória; das prefeitas, vice-prefeitas e vereadores eleitas pelo partido no estado; e do jingle do PTB Mulher.

“O Rio Grande do Sul reforça a tradição de liderar e inovar ao lançar essa cartilha que apresenta a nossa história, o nosso ideal e a nossa marca”, afirma Cristiane Brasil no livro.

“Como presidente, eu agradeço a colaboração de cada companheira que participou da elaboração dessa publicação.

Informação registrada, disseminada e discutida gera conhecimento e ação.

É com esse princípio que devemos ler esse documento, como meio de reflexão e exemplo.

Que esse instrumento sirva para nos reunir”, corrobora a presidente nacional do PTB Mulher.

Agência Trabalhista de Notícias (FM)