Distorções da máquina burocrática atrasam crescimento do país, diz Collor

PTB Notícias 20/05/2014, 19:47


A economia brasileira deverá alcançar nos próximos anos uma taxa de investimento equivalente a 24% do Produto Interno Bruto (PIB), previu na segunda-feira (19/5/2014) o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland de Brito.

Em audiência pública presidida pelo senador Fernando Collor (PTB-AL), na Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI), ele ressaltou que o Brasil tem todas as condições para fazer investimentos públicos e privados “amplos e diversificados” em infraestrutura, enumerando os setores de logística, energia, segurança e insumos para a atividade econômica.

“Temos estabilidade e mercado de crédito.

A taxa de investimento tem crescido ano após ano, acima da taxa de consumo e do PIB.

O que acontece é que o investimento em infraestrutura poderia ser maior, e o governo tem realizado uma política de investimento nessa direção, com o PAC [Programa de Aceleração do Investimento] e outros programas”, afirmou.

Brito ressaltou ainda que a estabilidade monetária é fundamental para investimentos em todos os setores.

Ele também observou que a inflação “não só caiu, como se tem mantido relativamente estável”, e garantiu que o governo mantém o controle do quadro inflacionário, a despeito da crise internacional.

“Licenciocracia”O senador Fernando Collor disse que não é só a burocracia que compromete o desenvolvimento do Brasil.

Ele mencionou também “a licenciocracia, a auditocracia e a controlocracia, que na realidade se tornaram os verdadeiros gestores do país, em função de distorções da máquina burocrática”.

“[A burocracia] impede o gestor de cumprir um programa de governo aprovado nas urnas pela população que o elegeu.

Não podemos continuar aceitando intromissões indevidas de órgãos licenciadores sobre as ações governamentais.

O que não pode acontecer é essa concorrência entre órgãos de controle para ver quem paralisa mais obras, quem consegue restringir os trabalhos executados nas diversas áreas da infraestrutura”, afirmou.

Agência Trabalhista de Notícias (EM), com informações da Agência SenadoFoto: Moreira Mariz/Agência Senado