Duciomar Costa garante inclusão de Belém no plano de investimentos do PAC

PTB Notícias 12/06/2009, 6:17


Belém está entre as três cidades paraenses que vão receber novos investimentos do Programa de Aceleração ao Crescimento (PAC), na ordem de R$ 4,7 bilhões para 109 municípios de 18 estados brasileiros.

O prefeito Duciomar Costa esteve em Brasília (DF) na última terça-feira (9), em reunião com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro das Cidades, Márcio Fortes de Almeida, para a assinatura do acordo que garante o repasse de R$ 126,5 milhões a Belém no PAC Drenagem.

A quantia será investida na conclusão do Portal da Amazônia.

Os demais municípios paraenses beneficiados, Marituba e Marabá, obtiveram recursos estimados em mais de R$ 123,5 milhões.

O dinheiro disponibilizado para a nova linha de atenção do PAC tem origem dos cofres da União, FGTS e FAT e foi criado para atender a cidades brasileiras afetadas por alagamentos com as chuvas fortes e que carecem de melhorias na rede de drenagem e saneamento básico.

As verbas do PAC Drenagem são destinadas a projetos voltados para a construção e recuperação de galerias, canais e caneletas, além da revitalização de áreas ribeirinhas e de lagoa.

A Prefeitura de Belém conseguiu a aprovação do Ministério das Cidades para a liberação dos recursos ao projeto Portal da Amazônia.

A iniciativa prevê a recuperação ambiental, urbanística e saneamento da orla de Belém, envolvendo as comunidades residentes na área da Bacia da Estrada Nova, às margens do Rio Guamá.

Segundo o prefeito Duciomar Costa, as obras do Portal Amazônia representam um salto na qualidade de vida da população de Belém, com a redução das enchentes e criação de infraestrutura urbana e sanitária adequada em vários bairros da capital, conforme declarou em entrevista à imprensa em Brasília.

“Muitas pessoas vivem em condições sub-humanas, em cima de palafitas.

A cidade foi erguida na beira de rios transformados em canais em função da ocupação desordenada.

Apenas 6% da capital tem saneamento básico.

Isso influencia diretamente na saúde, inclusive das crianças.

Esses problemas serão solucionados com este projeto”, declarou o prefeito de Belém.

O presidente Lula disse na apresentação que a escolha das cidades não tem origem partidária ou ideológica.

Elas foram selecionadas de acordo com a gravidade dos problemas vividos pelas cidades e especialmente por terem uma população de menor renda financeira no País.

O ministro Márcio Fortes de Almeida falou também sobre os valores destinados às obras de drenagem nos municípios.

Foi disponibilizado mais R$ 1 bilhão na fase inicial do PAC Saneamento, além de R$ 1,3 bilhão na segunda etapa.

O ministro também listou os benefícios que as ações de drenagem devem proporcionar à população carente.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações do Diário do Pará