Duciomar Costa inaugura primeira etapa da orla de Belém neste sábado, 30

PTB Notícias 27/06/2012, 18:01


O prefeito de Belém (PA), Duciomar Costa (PTB), entrega neste sábado (30/6/2012) a primeira etapa do projeto Orla de Belém.

O espaço, com aproximadamente 1,5 mil metros de área de lazer – composto por quadras poliesportivas, quiosques, decks, postos policiais, academia ao ar livre, play ground, restaurante, ciclovia, estacionamento, iluminação pública, paisagismo, calçadão, seis pistas pavimentadas e, ainda, pelo pórtico de entrada e pergolados – foi projetado pelo arquiteto e urbanista Paulo Chaves, que, respeitando as características ambientais e urbanísticas locais, desenvolveu um projeto rústico, mas com bom gosto e sofisticação.

Iniciadas em 2006, as obras resultaram ainda na criação de duas novas vias de tráfego e em uma reorganização do trânsito envolvendo o trecho compreendido entre as ruas Veiga Cabral e Fernando Guilhon.

O trabalho é acompanhado pela Macrodrenagem da Estrada Nova, que tem aprimorado a infraestrutura necessária aos empreendimentos habitacionais previstos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal para a área.

Ambas as iniciativas compõem o projeto Portal da Amazônia, criado pela Prefeitura Municipal de Belém (PMB).

O trecho a ser entregue no sábado envolve todo o corredor de entrada da orla, cruzando as ruas Veiga Cabral, Osvaldo de Caldas Brito e Mundurucus – um binário envolvendo as duas últimas ruas entrará em funcionamento logo após a abertura da orla.

Para a conclusão do projeto da orla de Belém, as obras se estendem ainda por mais 700 metros, até a rua Fernando Guilhon, totalizando 2,2km de área modificada.

De acordo com a empresa Andrade Gutierrez, contratada para realizar a obra, a construção da nova orla, desde sua concepção à execução, gerou enorme desafio: o de criar uma nova avenida sobre o rio Guamá em meio a um solo antes considerado não resistente ao tráfego de veículos ou à sustentação de um dique de contenção, indispensável à orla.

Após análises e estudos geotécnicos, a equipe de Engenharia AG realizou, dentre outras ações, um aterramento de 70 metros de extensão para substituir a superfície mole e úmida que delineava o espaço onde hoje está assentada a nova orla.

“Levando em consideração o resultado final, a geotecnia do projeto, as contenções criadas e o aterro usado, a Orla de Belém é um sucesso tanto na Engenharia quanto em questões sociais, de desenvolvimento e de qualidade de vida”, explica Edivaldo Carvalho, gerente de Engenharia da obra, coordenada por Alexandre Braga.

“Construímos uma orla e uma avenida onde antes só havia 40 metros de lama utilizando tecnologias de preparação de solo que chegavam a consumir 180 dias em espaços pequenos, que era o tempo necessário para atestar a resistência da superfície onde estávamos trabalhando”, reforça.

Orla e Macrodrenagem continuam seguindo juntas, e as melhorias proporcionadas pelas duas intervenções vão fazer a diferença também na chegada de grandes projetos habitacionais previstos no PAC.

“A macrodrenagem disciplina o curso dos canais e o nível das marés, e só a partir dela é possível construir, para garantir que não haja enchentes ou alagamentos”, justifica o gerente de Engenharia da Andrade Gutierrez.

A nova orla de Belém valoriza as características locais e ambientais do rio Guamá, proporcionando melhoria social e saneamento, além de incrementar o turismo e gerar emprego e renda.

De acordo com Duciomar Costa, esta é a primeira vez que o problema da falta de saneamento e de infraestrutura daquela área, que compreende os bairros do Jurunas e Guamá, é enfrentado.

“Hoje nós estamos recuperando uma área que estava sendo degradada há anos por madeireiras, fábricas de palmito, argila e portos.

Estamos devolvendo para Belém a vista para o rio, com mais qualidade de vida e infraestrutura para os moradores da região”, garantiu o prefeito petebista.

A iluminação pública do local é composta por 168 pontos dispostos em 42 postes com base de aço inoxidável e 15 metros de altura, nos padrões do sistema de iluminação da Avenida Paulista, em São Paulo.

Além disso, 44 projetores de LED serão instalados para realçar as cores do paisagismo da mais nova janela para o rio que a Prefeitura está devolvendo para a população de Belém.

Toda a iluminação da orla parte do conceito em que os espaços têm três dimensões e a iluminação deve ser projetada pensando tanto no volume como nos efeitos que terá sobre objetos e usuários; com foco no alto rendimento com baixo consumo de energia e facilidade de manutenção.

Cerca de R$ 100 milhões foram investidos no empreendimento pelo município e governo federal, via Ministérios do Turismo e das Cidades.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Prefeitura de Belém (PA)Foto: Comus/Prefeitura de Belém