Duciomar Costa visita serviço de emergência de Belém e avalia ampliação

PTB Notícias 9/07/2007, 8:42


O prefeito de Belém, o petebista Duciomar Costa, visitou a sede do serviço de urgência e emergência Samu-192 para averiguar as condições do serviço e o andamento do processo de ampliação do serviço, solicitada desde o início deste ano ao Ministério da Saúde (MS).

O reforço de quatro ambulâncias ainda não entrou em funcionamento por conta de erros nas notas fiscais, com descrição errada do renavam das ambulâncias, o que impede o licenciamento, feito em Brasília, por onde as ambulâncias são adquiridas pelo MS.

Embora as ambulâncias já estejam em Belém, elas ainda aguardam a liberação da documentação para serem licenciadas e liberadas para circular.

Consultado ontem novamente pela coordenadora de urgência e emergência de Belém, Regina Maroja, o coordenador da Divisão de Suprimento e Controle Patrimonial do MS, Evanildo Nogueira de Almeida, encaminhou ofício prestando esclarecimentos sobre os problemas de documentação que inviabilizaram o repasse oficial das ambulâncias e seu emplacamento.

No documento ele informa que a demora decorre de uma série de problemas iniciados com a ascensão do atual ministro José Gomes Temporão, que era secretário de atenção à saúde do MS, em nome do qual foram celebrados os termos iniciais de aquisição e repasse das ambulâncias.

Em fevereiro deste ano houve nova cobrança por parte da Sesma.

Os temos foram novamente assinados pelo secretário substituto, José Carlos de Moraes, mas, segundo Evanildo Almeida, por determinação da área jurídica os termos foram anulados.

Ele informou que com a mudança dos trâmites de doações de bens móveis e imóveis por meio do Decreto 6.

087/2007, de 20 de abril deste ano, as notas fiscais que apresentam problemas na descrição do renavam das ambulâncias e impedem o seu licenciamento serão corrigidas pela empresa que as vendeu, a Renault do Brasil S.

A, responsável pelo problema.

Ainda segundo o documento, essa correção será feira “o mais breve possível”.

Na visita ao Samu-192 o prefeito lembrou que, em funcionamento, as ambulâncias vão ampliar o atendimento para as reais necessidades de Belém, que dispõe atualmente de 12 ambulâncias básicas e 3 avançadas.

“Como a população de Belém cresceu, nós precisamos de reforço para cobrir todos os atendimentos e ainda dispor de uma retaguarda para as manutenções que são necessárias a esses veículos”, ressaltou o prefeito Duciomar Costa.

A frota de 12 ambulâncias básicas significa uma ambulância para cada 100 mil habitantes, e as três avançadas representam uma para cada 400 mil habitantes, uma proporção padrão do Ministério da Saúde para os municípios, que, no caso de Belém, vinha considerando uma população de 1,2 milhões de habitantes, número que segundo estimativas do IBGE já está em 1,5 milhões de habitantes.

Além disso, o sistema de Belém atende a todos os municípios de Região Metropolitana de Belém (RMB).

“Por ser a capital, Belém concentra os atendimentos da região metropolitana e até de municípios mais distantes de nosso Estado, e tudo isso sobrecarrega o sistema e faz com que necessitemos desse reforço”, lembrou.

Dedicação Na visita o prefeito petebista circulou por todos os departamentos de atendimento do Samu-192 e conversou com os servidores.

“É a dedicação desses profissionais que permitem salvar vidas em um sistema de atendimento tenso, enfrentando o trânsito e a pressão para atender a quem precisa”, afirmou Duciomar Costa.

O servidor Iranildo Ferreira da Silva, intensivista de uma unidade avançada, ressaltou a importância da consciência no uso do serviço, para evitar trotes que congestionam o sistema e atrasam os atendimentos, ao deslocar a equipe para locais onde nada ocorreu.

“Esta semana mesmo fomos ao cruzamento da Apinagés com a Tamoios por conta de um trote, onde a informação era de um acidente com três vítimas.

Outra vez fomos levados e um beco no bairro do Jurunas e sofremos um assalto, não havia emergência, era uma cilada para assaltar a equipe e furtar equipamentos da unidade móvel”, afirmou.

O serviço tem uma média de 4 mil atendimentos mensais e recebe em média 3,5 mil trotes, praticamente o mesmo número de ocorrências reais.

fonte: site da Prefeitura de Belém (PA)