Duciomar prepara Belém para ser a capital mundial dos movimentos sociais

PTB Notícias 2/12/2008, 17:48


Os olhos do mundo estarão voltados para a capital do Estado do Pará no mês de janeiro de 2009.

Além do Fórum Social Mundial, o prefeito da cidade de Belém, o petebista Duciomar Costa, anuncia a realização no começo do próximo ano de outros seis eventos paralelos: o V Fórum Mundial dos Juízes, a I Assembléia do Fórum de Autoridades Locais da Amazônia (FALA), o VI Fórum Mundial de Educação, o VI Fórum Parlamentar Mundial e o Fórum de Ciência e Democracia.

Para oferecer uma estrutura que atenda a toda essa demanda, e em tempo hábil, o prefeito Duciomar Costa firmou uma parceria com o governo do Estado do Pará para empreender uma frente de obras que vêm transformando a paisagem e dinâmica da cidade.

Segundo o coordenador do Comitê Executivo do Fórum Social Mundial pela Prefeitura de Belém, Raul Meireles, além das obras de melhorias da estrutura viária, de trânsito e de equipamentos turísticos em toda a cidade, a PMB está revitalizando a malha viária interna nos campus das Universidades Federal Rural da Amazônia (UFRA) e Federal do Pará (UFPA), onde também será construído um píer.

Raul explicou que recursos financeiros execução das obras serão repassados por meio de um termo aditivo com a UFPA, definido no último dia 27 de novembro.

O prefeito Duciomar Costa está envidando todos os esforços de sua administração no sentido de estruturar a capital paraense para receber cerca de 120 mil participantes do Fórum Social Mundiala, além dos demais eventos realizados no período.

De acordo com Duciomar, os trabalhos estão voltados para a drenagem e limpeza da Avenida Perimetral, preparação da coleta de lixo (que será reforçada na área de entorno do FSM); revitalização da iluminação pública; implantação de ciclofaixas e ciclovias; recuperação da pavimentação asfáltica na Rodovia Augusto Montenegro; reformas nas Unidades de Saúde do Guamá, Terra Firme, Curió, Utinga e outras, com as devidas adequações para reequipamento das salas de urgência.

Para contribuir com a demanda que será criada no setor de transporte durante o Fórum, a Companhia de Transportes de Belém (CTBel) definiu a criação de linha coletiva circular entre os campi da UFRA e UFPA.

A frota de ônibus que atende a primeira instituição terá aumento de 5%.

A rota Mosqueiro/Hangar/UFPA/UFRA terá um total de 19 veículos em operação.

Outras linhas especiais serão implantadas no período, entre elas a linha Aeroporto-Hangar, que contará com 10 ônibus exclusivos, e a linha Aeroporto-Centro Hoteleiro, com 10 micro-ônibus à disposição.

No perímetro urbano de Belém serão definidos pontos específicos que funcionarão como terminais de integração dos transportes coletivos.

Um deles será em São Brás e estará devidamente sinalizado e interligado com a área do Fórum.

Outras frentes de atuação contemplam a restauração de portos e criação de linhas fluviais, além da construção do píer na UFPA.

Segundo Luciana Mendes, da Coordenadoria Municipal de Turismo (Belemtur), em breve, os complexos do Ver-o-Peso e do Ver-o-Rio passarão por uma limpeza especial e os principais espaços turísticos da cidade serão submetidos a obras de manutenção.

Trilha da Ciência – Durante o encontro realizado no último dia 27 de novembro, entre o coordenador do Comitê Executivo do FSM pela Prefeitura Municipal de Belém, Raul Meireles, e o reitor da UFPA, Alex Fiúza de Melo, foi feito um convite à administração municipal para integrar a construção da “Trilha da Ciência”, espécie de comitê que reúne seis instituições de ensino superior de Belém para intercâmbio de informações na área científica.

São elas a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), Secretaria de Estado de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia (Sedect), Universidade do Estado do Pará (UEPA), Universidade Federal do Pará (UFPA) e Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), reunidas por intermédio de um protocolo de intenções firmado no último dia 25 de novembro.

A partir desse protocolo será implantada a ‘Avenida da Ciência’, uma via de ligação entre as seis instituições participantes que permitirá o acesso mais rápido a elas.

O trajeto inicia na Sedect, passando pelo campus da UEPA, na Avenida Enéas Pinheiro, cruzando a Embrapa, o campus de pesquisa do Museu Emílio Goeldi, a UFRA e, por fim, a UFPA.

O termo visa compor um Grupamento de Interesse Científico capaz de agregar competências das instituições, partilhando infra-estrutura de pesquisa e apoio, ampliando o intercâmbio de informações e o compartilhamento de dados e, conseqüentemente, as possibilidades de fornecer elementos científicos capazes de serem incorporados em políticas públicas.

Esse modelo de parceria vem sendo adotado em diversos países.

Na França, por exemplo, foi implantado a Agropolis, que reúne instituições de pesquisa e ensino superior de Montpellier e da região de Laguedoc, com a parceria de entidades internacionais.

Na Guiana Francesa, o Silvolab congrega dez instituições de pesquisa, educação e manejo florestal; enquanto no Brasil o Ecolab, programa franco-brasileiro, promove a cooperação técnico-científica na área de ecossistemas costeiros da Amazônia.

Firmar a cidade de Belém como uma agroecópole, objetivo da Trilha da Ciência, é uma oportunidade para avançar em pesquisa, desenvolvimento e formação de recursos humanos associados à Agroecologia, que poderão ser melhor aproveitados pela ação conjunta e organizada das instituições participantes.

Agência Trabalhista de Notícias (com Prefeitura de Belém)