Dziedricki garante incentivos ao micro e pequeno empreendedorismo

PTB Notícias 16/01/2011, 8:54


Setor até então pouco incentivado pelo poder público, o micro e pequeno empreendedorismo passará a ter atenção e apoio do Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

“É decisão do governador Tarso Genro”, afirmou o secretário de Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa, o petebista Maurício Dziedricki, após reunião no Palácio Piratini nesta semana.

De acordo com Dziedricki, para democratizar o crédito aos pequenos negócios, um grupo de trabalho será criado com representantes do Banrisul, CaixaRS, BRDE e Banco do Brasil para atender à demanda.

Isso significa que serão adotados procedimentos para desburocratizar o processo de concessão do crédito ao micro e pequeno empreendedor, adiantou Dziedricki.

Para o secretário, o principal desafio deste ano na gestão pública da economia solidária no Rio Grande do Sul será o de estabelecer uma nova política de crédito e microcrédito.

No cenário atual da economia brasileira, reproduzido no RS, a micro e pequena empresa, conforme Dziedricki, oferece a quase totalidade dos empregos gerados.

“Isso é algo próximo a 99% dos postos de trabalho, vindos de um segmento que participa com 20% do Produto Interno Bruto nacional”, observou Maurício Dziedricki.

Devido à importância do segmento, o Estado dedicará esforços para reduzir também o fechamento das micro e pequenas empresas.

Conforme informação do secretário, 70% das microempresas encerram suas atividades nos seus primeiros três anos de operações.

“Então, pretendemos estabelecer a economia solidária como um novo vetor para a economia gaúcha, de inclusão de milhares de pessoas que exercitam práticas econômicas sem grande expressão financeira, mas com grande importância social.

Haverá, portanto, investimento e apoio do poder público.

Essa é porta de entrada para o desenvolvimento social com justiça”, analisou Dziedricki.

Outra meta de ação governamental é estimular a formação de redes de cooperação entre pequenos produtores no Estado.

O secretário destacou, ainda, que a economia solidária é uma vertente mundial.

“O que queremos no Rio Grande do Sul é estabelecer uma marca dessa economia e garantir que ela tenha bons reflexos na produção e protagonismo nacional”.

Os micro e pequenos produtores, disse Dziedricki, têm grande importância na economia não apenas pela geração de trabalho e renda, mas também pela sua participação na redução dos impactos das injustiças, muitas vezes decorrentes da própria da atividade econômica.

Por isso, o Governo do Estado vai investir nesse setor.

fonte: site do governo do Rio Grande do Sul