Edmon Lucas lança na Bahia projeto com investimento de US$ 60 milhões

PTB Notícias 14/05/2007, 17:18


O Governo da Bahia, através da Secretaria de Integração Regional, lançou na última semana o Projeto Terra de Valor, em que os 34 municípios baianos com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) passarão a contar com um investimento de US$ 60 milhões, bancado igualmente pelo governo baiano e o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (Fida).

De acordo com o secretário de Integração Regional da Bahia, o petebista Edmon Lucas, o montante será usado para a execução, em seis anos, de ações de desenvolvimento, que beneficiarão 90 mil produtores rurais, entre homens, mulheres e jovens, com uma renda bruta de até dois salários mínimos mensais, sendo 35 mil direta e 55 mil indiretamente.

Edmon Lucas afirma que o projeto Terra de Valor beneficiará 26 municípios situados no nordeste e oito no sudoeste baiano, que devem obter a melhoria das suas condições sociais, através de um desenvolvimento ambientalmente sustentável e com eqüidade de gênero.

Pelo projeto, ficou também assegurada uma doação do Fida ao Estado, no valor de US$ 500 mil, para o desenvolvimento de dois projetos-piloto de produção de biodiesel a partir da mamona produzida pelos pequenos produtores rurais assistidos pelo Prodecar.

Segundo o secretário de Integração Regional, Edmon Lucas, o IDH foi o parâmetro escolhido porque envolve saúde, renda e educação, que é o tripé de ação do Governo do Estado.

“A partir deste parâmetro, as linhas de ação serão definidas por meio de discussões com as comunidades, por meio do Plano Plurianual Participativo, para que elas apresentem suas necessidades.

Depois, serão reunidas as diversas secretarias para levantar quais as possibilidades de cada uma, dentro dos pleitos dos municípios”, comentou o petebista Edmon Lucas.

Ele disse que não é possível melhorar as comunidades rurais sem atuar nos centros urbanos.

“Então, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur) também vai interagir conosco, para promover uma melhora mais consistente em cada região beneficiada”, afirmou o secretário do governo da Bahia.

Operacionalmente, o projeto baseia-se na participação das organizações dos beneficiários em todas as etapas, desde o planejamento até a implementação e posterior gestão.

A ação prevê a incorporação das mulheres aos negócios rurais ligados às cadeias produtivas selecionadas e inclui também ações específicas para jovens, estimulando a capacitação e o empreendedorismo.

Serão criados Conselhos de Desenvolvimento Territorial, com representações de diversos segmentos da sociedade, no âmbito dos quais serão debatidos os temas relevantes do projeto e definidos seus encaminhamentos.

Também será constituído um Conselho Diretor, de nível estadual, com a atribuição de analisar e aprovar os Planos Operativos Anuais e avaliar a execução global.

Sua composição assegura a representação do poder público municipal, assim como dos beneficiários e de outros programas governamentais com atuação nas duas regiões do projeto.

O secretário Edmon Lucas afirma que estão previstas ainda linhas de ação diversificadas e abrangentes agrupadas em três componentes: desenvolvimento de capital humano e social (formação e qualificação profissional, capacitação, fortalecimento de organizações, apoio a atividades culturais, promoção da eqüidade de gênero e infra-estrutura social); desenvolvimento produtivo e de mercado (apoio aos pequenos produtores rurais, apoio a microempresas rurais, comercialização, apoio a jovens empreendedores, conservação ambiental e infraestrutura produtiva); e administração (gestão do projeto, monitoria e avaliação).

Agência Trabalhista de Notícias (com informações do Governo da Bahia)