Eduardo Costa discute implantação de antenas de celular em regiões do Pará

PTB Notícias 8/05/2015, 14:18


O deputado estadual Eduardo Costa (PTB) se reuniu na quinta-feira (7/5/2015) com representantes do governo do Pará e das operadoras de telefonia celular para definir questões práticas sobre o Pacto das Antenas e as Parcerias Público-Privadas (PPPs), como resultado prático da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Telefonia Celular.

A reunião ocorreu no Centro Integrado de Governo e contou com a presença do vice-governador Zequinha Marinho (PSC), da secretária adjunta de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Maria Amélia Enriques, e de representantes das operadoras Claro, Vivo e Tim.

Foram expostas as propostas para o Pacto das Antenas, que prevê a instalação de antenas de telefonia móvel nos 144 municípios, por meio de celeridade na concessão das licenças municipais, que muitas vezes fica atravancada na burocracia.

É uma união entre Estado, municípios e operadoras.

A priori, há duas propostas de implantação.

A primeira é por regiões.

O Pará seria dividido em quatro áreas, em que cada operadora ficaria responsável por uma delas.

A segunda proposta é por município.

As operadoras se dividiriam para instalar em uma localidade rural de cada município.

“Para acelerar esse processo e conectar dignamente a nossa população de cerca de sete milhões habitantes, propusemos as PPPs, que vão incentivar os investimentos por meio da isenção do ICMS durante um determinado período, o que foi bem recebido pelas empresas”, conta Eduardo Costa.

Também ficou estabelecido que serão levantados o número de habitantes dos municípios, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), a faixa etária e as coordenadas geográficas para serem entregues s cada empresa.

Os representantes das operadoras ressaltaram a problemática da energia elétrica.

De acordo com eles, em muitos municípios o fornecimento de energia é de cinco dias e da telefonia celular é de sete.

Para compensar esse deficit, as empresas também utilizam geradores próprios, o que tornaria praticamente impossível em localidades em que não há número de habitantes e uso do serviço.

O vice-governador Zequinha Marinho questionou-as sobre o uso de fontes de energia alternativas, como a solar, mas eles reafirmaram sobre o alto custo do investimento, mesmo com a isenção.

“Acredito também que podemos ampliar essa discussão e levá-la para as universidades.

Afinal, tempos excelentes cursos de engenharia que poderiam desenvolver tecnologia dentro da nossa realizada.

É assim que todos os países fazem, por que nós seriamos diferentes?”, questionou o deputado do PTB.

“O fato é que devemos nos unir para fazer desse Estado o que ele já é por natureza: grande.

Grande na economia e na qualidade de vida, na felicidade e na dignidade de cada cidadão seja na zona urbana ou na rural.

“Eduardo Costa adianta que uma nova reunião será realizada ainda neste mês e, de acordo com o parlamentar, com a presença de mais secretarias do Estado.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da assessoria do deputado Eduardo Costa (PTB-PA)Foto: Divulgação/Assessoria