Elmano Férrer anuncia que irá reduzir desapropriação da área do aeroporto

PTB Notícias 1/01/2012, 11:23


O prefeito de Teresina (PI), Elmano Férrer (PTB), anunciou na última semana que irá reduzir o decreto de desapropriação da área do entorno do aeroporto Petrônio Portela.

Ele disse que a decisão veio após muita reflexão.

“Ter assinado o decreto foi um ônus para mim”, admitiu.

O anúncio com as modificações no decreto devem acontecer ainda em janeiro.

Férrer destacou que havia colocado algumas prioridades para serem sanadas até o mês de dezembro.

Uma delas era referente à implantação do sistema de integração das linhas de ônibus.

“Essa conseguimos avançar até um bom termo”, diz, acrescentando que a outra prioridade era dar solução ao problema do aeroporto.

O chefe do executivo municipal lembrou que quando assumiu a gestão encontrou o decreto pronto para ser assinado.

“Quando assumimos em abril do ano passado, já estava tudo pronto.

Não é desapropriar, é considerar uma área já delimitada e nós assinamos aquilo, considerando aquela área passível de desapropriação”, ponderou.

Entretanto, segundo ele, as coisas não avançaram.

O petebista voltou a tecer críticas com o ritmo implantado nas obras.

“Decorreu mais de ano e nada aconteceu ainda.

Não temos nem os projetos definitivos da nova casa de passageiro.

Não temos ainda a conclusão do MOP (Módulo Operacional Provisório), embora tenha avançado”, criticou.

O prefeito voltou a falar que Teresina precisa de um novo aeroporto que seja capaz de atender a demanda crescente.

Para que os prejuízos não sejam maiores, Férrer adianta que já tem a posição que deverá adotar em relação ao aeroporto.

“Já temos nossa posição.

Em cima do decreto que assinamos, já fizemos um planejamento em cima do Plano Plurianual de investimentos, tanto da Infraero quanto do Governo Federal.

A tendência é reduzir a área de abrangência do decreto para o realmente necessário.

Eu acho que o que tem ali é um exagero”, avalia.

A mudança de planos acontece, segundo ele, após “muita reflexão”.

Ele cita ainda o debate que aconteceu envolvendo a presença da sociedade, dos deputados estaduais, vereadores e Ministério Público.

“Todos foram envolvidos e a nossa tendência é reduzir aquela área”, adianta.

O embate envolvendo a desapropriação do aeroporto durou semanas.

O assunto foi pauta na Câmara Municipal, na Assembleia e ainda em manifestações de populares.

A desapropriação foi autorizada por meio do Decreto Municipal nº 10.

440, de 8 de junho de 2010, com publicação no Diário Oficial do Município no dia 1º de outubro de 2010.

O documento autoriza a Infraero a desapropriar 1.

126 casas localizadas no entorno do aeroporto.

A previsão é de que sejam investidos na reforma do aeroporto, o montante de R$4,7 milhões.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal 180 Graus