Elmano Férrer quer incluir participação popular no Orçamento da União

PTB Notícias 24/09/2014, 17:28


O lugar e as condições que se mora tem tudo a ver com a qualidade de vida, saúde, a segurança e a autoestima.

Em todas as cidades do Piauí, há problemas de urbanização e infraestrutura, principalmente nas áreas mais carentes, onde moram as pessoas mais humildes.

O candidato ao Senado pelo PTB, Elmano Férrer, durante a gestão à frente da Prefeitura de Teresina, investiu em aparelhos públicos que impactassem na vida dos teresinenses.

Para isso, o petebista defende o modelo do Orçamento Popular em nível nacional.

A ideia de Elmano é incluir demandas populares por meio do Orçamento Popular e incluir no Orçamento Geral da União.

“Na periferia das cidades, vilas, as pequenas obras são importantes: calçamento, uma galeria, uma regularização fundiária, ou seja, o que a população demanda, são importantes e têm uma dimensão social muito grande.

Por isso que eu quero ser o senador das comunidades carentes.

No Senado, eu vou lutar para incluir no Orçamento da União os recursos necessários à implantação do Orçamento Popular e gestão participativa, como eu fiz na Prefeitura de Teresina.

No sentido de que a própria comunidade defina, estabeleçam, as suas prioridades, o que é que quer que a prefeitura execute com recursos federais”, afirmou.

Em Teresina, havia um vácuo de política habitacional.

Por isso, uma das primeiras iniciativas de Elmano à frente da prefeitura foi abraçar o programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, financiado pela Caixa Econômica Federal.

Assim, entre 2011 e 2012, foram construídas 3.

999 casas.

Além destas, mais 2.

181 unidades habitacionais foram feitas com recursos do BNDES, Orçamento Geral da União e recursos próprios do município, totalizando 6.

180 casas em pouco mais de dois anos.

Com isso, assegurou-se casa própria e melhores condições de vida a pelo menos 20 mil pessoas.

O ex-prefeito sabia que era necessária a adoção de uma forte política pública na área habitacional.

Por isso, instalou a Secretaria Municipal de Habitação e Regularização Fundiária (SEMHAB) em Teresina, que se responsabilizou pela redução do déficit habitacional da capital e legalização de milhares de moradias que sempre pertenceram de fato aos residentes, mas nunca foram deles de direito.

Quando foi prefeito de Teresina, Elmano dedicou especial atenção às vilas e favelas.

“Durante o tempo que estive à frente da prefeitura, fizemos uma gestão participativa.

Pois nada melhor de quem mora nos bairros, nas vilas, para saber os problemas do local”, finalizou o candidato.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da assessoria de Elmano Férrer (PTB-PI)Foto: Divulgação/Assessoria