Em coletiva, Júlio Pinheiro detalha situação da Câmara de Cuiabá (MT)

PTB Notícias 11/12/2013, 7:33


Em coletiva à imprensa na terça-feira (10/12/2013), o presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, Júlio Pinheiro (PTB-MT), detalhou a real situação financeira da Casa de Leis, que qualifica de grave, por imposição de dívidas altas que comprometem a quitação de encargos imediatos com fornecedores (suspenso por 90 dias) e até mesmo da folha salarial de dezembro.

“A prioridade é o funcionário.

Cada centavo será dirigido aos nossos servidores”, garantiu.

Júlio agradeceu o apoio que tem recebido dos colegas vereadores e adiantou que irá voltar a se reunir com o prefeito Mauro Mendes, a quem já expôs toda a situação.

“Aliás, gostaria de agradecer a sensibilidade do prefeito.

Mostrou total disposição em nos ajudar.

” Segundo explicou, sem orçamento uma instituição fica inviabilizada de se mobilizar financeiramente.

“Nosso orçamento está devedor.

E para pagar qualquer despesa, é preciso ter orçamento.

Assim, consultarei o Tribunal de Contas de MT.

Se não temos orçamento, a lei nos proíbe de pagar.

Meu propósito é equacionar isso.

Na minha gestão, pagarei tudo que for baseado na lei.

O duodécimo a ser repassado pela prefeitura agora é de R$ 2,4 milhões, enquanto a dívida do Legislativo totaliza R$ 8,100 milhões.

“Na oportunidade, o parlamentar lembrou que até devolveu recursos à Prefeitura de Cuiabá durante sua gestão anterior.

Ele distribuiu cópias de relatório elaborado por técnicos do Parlamento.

O documento detalha que, de um total de R$ 32.

457.

624,00 (Orçamento/2013), R$ 32.

127.

709,94 foram utilizados.

Orçamento negativo de R$ 329.

914,06.

Na relação de despesas/2013 do relatório, citou Pinheiro, entram mais ou menos R$ 600 mil (rescisões trabalhistas), despesas liquidadas e não pagas (R$ 2.

878.

029,86), folha pagamento de dezembro/2013, R$ 1.

300.

000,00, 13º salário, R$ 950.

000,00, CuiabáPrev Patronal – sobre folha de pagamento (R$ 585.

000,00), INSS Patronal – sobre folha de pagamento (R$ 1.

800.

000,00), totalizando R$ 8.

113.

029,86.

“Todos os esforços continuarão sendo feitos pela presidência para que os servidores recebam seus proventos, agora em dezembro.

Na próxima segunda-feira, talvez tenhamos boa notícia a respeito disso”, repetiu Júlio em reunião com os servidores, às 11h, no Plenarinho Ana Maria do Couto.

Porém, reconheceu a gravidade da situação.

“Vamos viver momentos difíceis, dias de franca turbulência.

Na minha gestão, gostaria de sublinhar, não uso retrovisor, não fico olhando o passado.

Para isto existem órgãos específicos, o TC, Ministério Público.

É vital que tenha o apoio dos demais 24 parlamentares que compõem esta instituição.

E preciso também da ajuda de todos vocês para chegarmos a uma situação compatível aos anseios gerais.

“Ele deixou a critério dos servidores “estudar a possibilidade de férias coletivas para que o prédio do Legislativo possa ser submetido a reparos emergenciais”.

Pinheiro entende que os últimos incidentes que inviabilizaram a continuidade das sessões plenárias são preocupantes.

“Corremos até risco de morte nesta Casa, por conta de problemas constantes na rede de energia e outros igualmente graves.

A proposta de férias é para que possam ir pensando.

Podemos também ter férias mais esticadas (recesso), período em que os impasses de energia e outros podem ser solucionados.

” * Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da SECOM/Câmara Municipal de Cuiabá Foto: Otmar de Oliveira